Uma vitória para espantar o frio e fazer do próximo compromisso, no sábado (15), uma grande decisão. Assim foi o gosto para o América, que nesta terça-feira (11), derrotou  o Boa Esporte por 2 a 0, no Independência, e terminou a rodada na terceira colocação da Série B, com 23 pontos, dois a menos que o Guarani, adversário do fim de semana.

Predestinado, o meia Ruy foi o nome do jogo. Substituto do lesionado Renan Oliveira, que deixou o campo ainda no primeiro tempo, ele acertou o pé e, em dois golaços, fez a alegria dos americanos presentes ao Horto.

Apesar do melhor saldo em relação ao Bugre de Campinas, próximo desafiante, o América perde no número de vitórias: seis contra sete do time paulista. Por isso o time alviverde terminou a 13ª rodada atrás na tabela.


O jogo

Duas equipes com um só pensamento: subir na tabela da Série B. Assim foi o clima do duelo entre América e Boa, antes de a bola rolar no Independência, pela 13ª rodada do Brasileirão.

Numa noite fria no Horto, belo-horizontinos e varginhenses começaram o aquecimento meia hora antes do apito inicial. Visando terminar a rodada na vice-liderança, o Coelho tentava também manter a série invicta na competição. Antes do duelo, eram seis jogos consecutivos sem saber o que era derrota.

O time da Terra do E.T, por sua vez, precisava dos três pontos fora de casa para seguir na cola do G-4 e se livrar de vez do fantasma da zona do rebaixamento.Com 16 pontos, quatro a menos que o alviverde, o Boa iniciou a partida na 13ª posição.

Quando a bola rolou, o que se viu foram duas equipes se estudando e pouco objetivas. Até os 25 primeiros minutos, inclusive, nenhuma chance real de gol foi criada. Se recompondo com rapidez, o Boa pouco espaço deu para as investidas do América. Explorando os contra-ataques, a equipe Boveta também mostrou ineficiência nas investidas.

Aos 29, após chute fraco da entrada da grande área, o meia Renan Oliveira acabou sentido lesão muscular e foi imediatamente substituído por Ruy.

A primeira grande oportunidade do primeiro tempo veio nos pés do rápido atacante Matheusinho. Aos 32 minutos, após boa penetração na pequena área adversária, ele chutou forte, mas acabou esbarrando nas mãos do bom goleiro Daniel Luiz.

Mas o presente dos mandantes veio três minutos depois. Ruy, que entrou já com a bola rolando, graças à lesão de Oliveira, acertou um chutaço de fora da área e, acertando a gaveta esquerda do camisa 1 do Boa, abriu o placar.

Segundo tempo

Buscando amplicar o placar, o Coelho partiu para cima logo no início da segunda etapa. Oportunista e elemento surpresa, o lateral-esquerdo Pará chegou cara a cara com Daniel Luiz, mas foi parado pelo arqueiro boveta.

Aos 11 minutos, novamente nos pés de Ruy, predestinado, o Coelho balançou as redes do rival mineiro. Em jogada bem trabalhada em passes curtos,ele recebeu, teve tempo de olhar o posicionamento do goleiro adversário e acertar um belo chute no canto direito. Foi o gol da tranquilidade dos comandados do técnico Enderson Moreira.

Aos 20, para melhorar ainda mais a vida do Coelho, o goleiro Daniel Luiz fez lambança ao tentar driblar o atacante Bill, perdeu a bola e foi obrigado a fazer a falta. Como era último homem, acabou expulso.

Obrigado a repor a posição, Nedo Xavier sacou o atacante Reis e colocou o camisa 12 Fabrício em campo.

Daí em diante, os donos da casa apenas controlaram as ações. Menos agressivo e priorizando mais a posse de bola, o América conduziu a vitória até o apito final. Resultado bastante comemorado, dentro e fora de campo.

Na próxima rodada, o alviverde terá pela frente o Guarani, adversário direto no G-4. As duas equipes se enfrentam sábado (15), às 16h30, também no estádio do Horto. O Boa, por sua vez, encara o Londrina, no Estádio do Café, às 19h.    


Ficha Técnica:

América 2 x 0 Boa Esporte

América: João Ricardo; Norberto, Rafael Lima, Messias e Pará; David, Zé Ricardo e Renan Oliveira (Ruy); Matheusinho (Magrão), Luan (Neto Moura) e Bill
Técnico: Enderson Moreira

Boa Esporte: Daniel Luiz; Ruan, Caique, Júlio Santos e Paulinho; Escobar, Reis (Fabrício) e Diones; Felipe Mateus, Thaciano e Wesley (Casagrande)
Técnico: Nedo Xavier

Gols: Ruy, aos 42 do primeiro tempo e aos 11 do segundo, para o América
Arbitragem: Daniel Nobre, auxiliado por Lúcio Flor e Leirson Peng
Cartões amarelos: -
Cartão vermelho: Daniel Luiz (Boa)
Público e Renda: 2.921 presentes /  R$ 15.874,00