RET

Nove corridas, 225 pontos em disputa e apenas 14 separando o líder Sebastian Vettel do vice, Lewis Hamilton (com o finlandês Valtteri Bottas à espreita). Esse é o panorama do Mundial de Fórmula 1 na volta da pausa de três semanas de férias.

Um retorno que acontece em um dos mais tradicionais traçados do calendário da categoria: Spa-Francorchamps, palco do GP da Bélgica, em que os vários pontos de ultrapassagem e a caprichosa meteorologia costumam garantir disputas emocionantes.

Se todas as escuderias aproveitaram a pausa para desenvolver novidades, Ferrari e Mercedes, em especial – também duelam pelo título dos construtores – procuraram aproveitar cada minuto à disposição para aprimorar o equipamento. Os italianos contam com uma suspensão dianteira redesenhada e novas asas. Mudanças aerodinâmicas também nas Flechas de Prata.

“Conseguimos identificar e corrigir os pontos fracos de nosso carro. Ainda não é a garantia de que seremos melhores em todas as pistas, mas acredito que estamos no caminho certo”, afirma Vettel, motivado pela dobradinha ferrarista na Hungria antes da parada.

Hamilton, que esteve em Cuba para compromissos com patrocinadores e na condição de embaixador do Unicef, também se mostra otimista. “Trabalhei pesado durante a pausa e a equipe também. Não via a hora de voltar a acelerar”, explica o britânico, empatado com o rival quando o assunto são vitórias no ano (4 a 4).

Os treinos de hoje marcam o retorno de Felipe Massa depois de ficar fora do GP húngaro, com uma virose. Totalmente recuperado, ele superou o controle médico e foi autorizado a retomar o cockpit da Williams 19, numa pista que, na teoria, favorece o carro do time de Grove. Para o fim de semana, estão disponíveis os três compostos de pneus mais rápidos na gama da Pirelli: macio (amarelo), supermacio (vermelho) e ultramacio (roxo).

Schumacher
O GP belga promete um momento de grande emoção. Antes da largada, Mick Schumacher fará algumas voltas de exibição com a Benetton que o pai levou ao título mundial de 1994, na pista em que o heptacampeão estreou na categoria (em 1991). Será o primeiro contato do piloto de 18 anos, atualmente na F-3, com um F-1.