A longa e vitoriosa carreira de Manny Pacquiao terá mais uma luta adicionada ao seu currículo com a confirmação nesta quarta-feira de que o filipino vai enfrentar o peso meio-médio australiano Jeff Horn em 23 de abril, ainda que o local não tenha sido definido.

A empresa organizadora Duco Events disse nesta quarta que a luta pode ser realizada em uma cidade australiana, provavelmente Brisbane, onde nasceu Horn. Localidades no Oriente Médio e nos Estados Unidos também podem receber o evento.

"A preferência por todas as partes é de que a luta seja realizada na Austrália, e estamos trabalhando para isso se tornar realidade", disse Dean Lonergan, diretor da Duco, que se reuniu nesta semana com o diretor da Top Rank, Bob Arum, para organizar a luta.

Arum declarou que quer que a luta ocorra em um estádio aberto, e que seja transmitida em 159 países, incluindo os Estados Unidos, onde seria exibido na noite de sábado no horário local.

"Calculo que entre 3 mil e 4 mil filipinos viajariam das Filipinas para a Austrália para assistir o evento", opinou Arum. "Seria a maior luta da história da Austrália, mas, até que tenhamos garantias do dinheiro, temos que manter nossas opções abertas, incluindo o Oriente Médio e os Estados Unidos".

Senador pelas Filipinas, Pacquiao, de 38 anos e com um cartel de 59 vitórias, seis derrotas e dois empates, obteve o título dos meio-médios da Organização Mundial de Boxe ao derrotar Jessie Vargas em novembro.

Em maio de 2015, teria recebido uma bolsa de US$ 100 milhões (aproximadamente R$ 322 milhões) na derrota para Floyd Mayweather, naquela que é considerada a luta mais lucrativa da história

Horn, de 28 anos e com um cartel de 16 vitórias e um empate, participou dos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012. Agora tentará faturar o cinturão da Organização Mundial de Boxe contra uma das lendas do boxe.