O atacante Lucas Pratto não se negou a falar após a vexatória eliminação do São Paulo na Copa Sul-Americana. E deu razão à torcida, que vaiou fortemente o time após o empate por 1 a 1 com o Defensa y Justicia, da Argentina, em pleno estádio do Morumbi, na capital paulista. "É justa, a gente foi eliminado de três competições", disse o argentino sobre a insatisfação da torcida. "Precisamos de uma vitória urgentemente".

Para Rodrigo Caio, essa vitória tem de ser neste domingo, na estreia no Campeonato Brasileiro, contra o Cruzeiro, em Belo Horizonte. "Temos de levantar a cabeça, sabemos que a cobrança será muito forte a partir de agora", disse o zagueiro, que defendeu o técnico Rogério Ceni, assim como Lucas Pratto. "Os responsáveis (pelos maus resultados) são os jogadores. Estamos falhando com a torcida e com o treinador".

Antes da partida desta quinta-feira, a equipe do Morumbi já havia sido desclassificada na semifinal do Campeonato Paulista (eliminada pelo Corinthians) e na quarta fase da Copa do Brasil (eliminada pelo Cruzeiro). Assim, o São Paulo chegou ao duelo contra o Defensa y Justicia com 17 dias sem partidas oficiais, que foram utilizadas por Rogério Ceni e sua comissão técnica para aprimorar os treinamentos.

A Copa Sul-Americana era um atalho para o São Paulo chegar à Copa Libertadores do próximo ano. A intenção era repetir o título conquistado em 2012, o último da equipe, que vive um jejum de conquistas que incomoda seu torcedor. Só que a eliminação precoce deixou a equipe apenas na disputa do Brasileirão no restante da temporada.