Após 11 anos de uma das maiores frustrações já vistas no futebol brasileiro, o atacante Romário finalmente defenderá o Tupi, de Juiz de Fora. Porém, desta vez, na figura do filho, de 23 anos. Romarinho, revelado no Vasco, assinou contrato na noite desta terça-feira (30) e é esperado na Zona da Mata nesta quinta (1). Para os torcedores do Tupi, a esperança é de que, além de vestir a camisa do alvinegro, como fez o pai em 2006, o jogador vá mais longe e pelo menos estreie pelo clube mineiro.

Romário, o pai, estava perto de completar mil gols na carreira quando desembarcou em Juiz de Fora. Com 985 tentos no currículo, o Baixinho ficou sem clube após ter sido artilheiro nos Estados Unidos, onde defendia o Miami. 

A negociação com o Galo Carijó, apesar de todo status de ídolo do atual Senador da República, foi bem rápida. No dia 9 de outubro daquele ano, a contratação foi anunciada e, no dia seguinte, ele já a treinava com os novos companheiros, que disputavam a Taça Minas.

Porém, veio o fato inesperado. O que a cúpula alvinegra e os torcedores não imaginavam era que a CBF barraria a transferência. Como a janela internacional havia sido fechada em agosto, mesmo livre o atacante estava impossibilitado de atuar por qualquer equipe brasileira. Para evitar a frustração, o Tupi tentou de todas as formas convencer a entidade maior do futebol brasileiro, mas o sonho de contar com Romário não foi além daquele primeiro treino.

Empolgado

Romarinho, que defendeu o Macaé no Campeonato Carioca, chega sem a mesma mobilização que o pai causou na cidade, mas promete honrar a aposta feita pela diretoria. Ele chega para ajudar o alvinegro a se destacar na Série C do Brasileirão.

“Estou muito feliz e motivado por ter a oportunidade de poder defender o Tupi, um clube com uma historia tão grande. Prometo fazer de tudo pra conseguir o acesso e retribuir a confiança da diretoria e comissão técnica”, comenta o "Filho do Peixe".

romario