Alex Silva vinha bem na partida contra o Atlético-PR, na noite desta quarta-feira (14), atacando com personalidade e sendo peça útil ao time. Porém, em uma jogada defensiva, aos 78 minutos de jogo, colocou a língua para fora. Teve de ser substituído por cansaço e o Atlético mandou a campo uma nova improvisação.

O meia-atacante Thalis teve de entrar no lugar de Alex Silva, sendo um 'tapa-buraco' na lateral direita. Assim, em sete rodadas já disputadas no Campeonato Brasileiro, o Atlético chegou ao sexto elemento diferente ocupando a função tática, seja por um jogo completo ou por apenas quase 20 minutos, como foi com o armador vindo da base.

O Galo estreou no Brasileirão, diante do Flamengo, com o reserva Carlos César na lateral. O jogador, entretanto, terminou o jogo no sacrifício, com o tornozelo direito fraturado. Marcos Rocha voltou ao posto de titular nas duas rodadas seguintes, diante do Fluminense e Ponte Preta. Até que prendeu o pé no gramado e machucou a coxa na Copa do Brasil. 

Assim, a diretoria alvinegra foi obrigada a chamar Alex Silva de volta do América, onde estava emprestado até o fim do ano. O jogador também atuou duas rodadas seguidas, diante do Palmeiras e do Avaí. Então, segundo o clube, sofreu bronquite na véspera de encarar o Vitória.

Nova improvisação com Yago na lateral direita em Salvador. E o volante sentiu cansaço no intervalo, sendo substituído por Ralph, com Elias deslocado para a ala. 

Diante do Atlético-PR, foi a vez de Thalis segurar a chamada de emergência da comissão técnica. Vale lembrar que Alex Silva é o único lateral-direito de origem com condições de jogo. Marcos Rocha e Carlos César seguem no DM. E Yago, o primeiro 'quebra-galho' do setor, nem foi relacionado na derrota para o Furacão. 

RODÍZIO FORÇADO NA LATERAL
x Flamengo - Carlos César
x Fluminense - Marcos Rocha
x Ponte Preta - Marcos Rocha
x Palmeiras - Alex Silva 
x Avaí - Alex Silva
x Vitória - Yago // Elias
x Atlético-PR - Alex Silva // Thalis