O terceiro lugar na última Superliga foi bastante positivo, assim como toda a temporada, marcada ainda pelo título sul-americano de clubes. O vôlei do Minas Tênis, no entanto, quer mais no ciclo 2018/19 de competições. Depois de anunciar as chegadas das ponteiras Natália Zílio, campeã olímpíca, e da oposto Bruna Honório, o clube da Rua da Bahia oficializou o retorno da ponteira Gabi, que completa 24 anos neste sábado (19). A jogadora, revelada pelo Mackenzie, ganhou projeção nacional no Minas, transferindo-se em seguida para o Sesc, em que se tornou jogadora de confiança de Bernardinho.

Agora sob o comando do italiano Stefano Lavarini, ela torna ainda mais qualificado o grupo minas-tenista, especialmente com vistas ao Mundial Interclubes da China, no fim do ano. Depois de passar pelos exames médicos e físicos, ela falou sobre a volta. "Todas as vezes que vinha jogar contra o Minas, recebia muito carinho, os torcedores sempre pediram para eu voltar. Então, aqui estou, muito motivada e animada para a nova temporada. Brinco que, quando fui embora, era uma criança, com muitos objetivos, muitos sonhos, querendo evoluir e buscar status na seleção. Felizmente, consegui alcançar vários desses objetivos. Hoje, volto com metas ainda maiores, de conquistar mais títulos com a seleção e, agora, com o Minas. Me sinto uma mulher madura, muito mais preparada para encarar novos desafios. Estou em busca da medalha olímpica e, neste ano, temos o Mundial de Clubes, que é outro desejo para a minha carreira. Estou preparada para encarar esses desafios de frente", destacou.

O marketing do Minas apostou em uma estratégia diferente para anunciar o acordo com Gabi. Pela manhã, Natália apareceu nas redes sociais com um cartaz "procura-se colega para dividir apartamento", e os requisitos necessários, que casaram com as características da jogadora mineira: "gostar de vôlei", "habilidades como ponteira", "mais de 1,80m" e "títulos nacionais e mundiais".

Gabi e Natália estão servindo à Seleção Brasileira que disputa a primeira fase da Liga das Nações, em Barueri (SP). Se a primeira tem atuado, a segunda, a exemplo de Thaísa e Dani Lins, ainda vem sendo poupada pelo técnico Zé Roberto Guimarães.