Nadadora mais eficiente do Troféu Maria Lenk, com cinco medalhas de ouro e uma de prata, Joanna Maranhão foi uma das beneficiadas pela ampliação do número de vagas na Seleção Brasileira convocada para o Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos de 2017.

A atleta de 30 anos, porém, manteve a postura crítica à confederação nacional (CBDA) e classificou como "sacanagem" e "desrespeito" a ausência de alguns detentores de índices mundiais (por tempo) na relação. Dentre eles, o jovem Vinicius Lanza, do Minas Tênis Clube.

"Fico muito feliz e honrada por entrar nessa lista mais que seleta, porque fazer só o índice não era suficiente. Mas acho importante dizer que é um desrespeito muito grande a gente não levar esses atletas por falta de verba. É absurdo, é mais uma sacanagem dessa gestão, que não cansou de roubar sem pensar que as coisas precisariam continuar depois dos Jogos Olímpicos", afirma Joanna ao Hoje em Dia.

Inicialmente, devido à crise institucional e financeira na entidade, seriam levados para a Hungria apenas os donos dos oito melhores índices técnicos (por pontos) nas provas olímpicas das duas etapas seletivas (Torneio Open 2016 e Troféu Maria Lenk 2017).

Na convocação final (veja abaixo), foram acrescentados sete atletas, também conforme o critério dos índices técnicos, além do veterano Nicholas Santos, 37, autor do melhor tempo do mundo em 2017 na prova não-olímpica dos 50m borboleta.

Assim, a lista passou de oito para 16 nomes. O número, porém, ainda é considerado bastante insatisfatório pela principal nadadora do país, especialmente em se tratando da maior competição deste primeiro ano do novo ciclo olímpico. Para se ter uma ideia, 25 atletas haviam sido convocados para o Mundial de 2015, na Rússia.

Vinicius Lanza Minas Tênis Clube

Jovem do Minas Tênis Clube atingiu índice mundial nos 100m borboleta masculino do Troféu Maria Lenk 

"Não é porque eu estou na seleção que eu vou deixar de falar as coisas que estão erradas, porque é culpa deles (dirigentes). Estão prejudicando atletas que deveriam estar nesse Mundial e, infelizmente, não estarão", critica Joanna, citando o exemplo de Vinicius Lanza.

O nadador de 20 anos cravou 52.02 segundos na prova dos 100m borboleta masculino do Troféu Maria Lenk, superando a marca exigida para a participação no Mundial, de 52.29.

"O menino fez o índice olímpico, mas não foi (para os Jogos do Rio) porque dois outros nadadores tinham feito tempos mais baixos. Agora, o cara fica de fora do Mundial porque não tem verba? Para mim, é uma honra ter sido convocada, mas não acho justo o critério de seleção. Tinha que ser pelo índice (tempo). Fez, vai", avalia a pernambucana.

"Que gestão foi essa, que legado é esse, um ano depois de a gente ter sediado a Olimpíada no Brasil? Aí eles vêm falar em olhar para Tóquio-2020, mas a situação é igual na seleção para o Mundial Júnior. Não faz o menor sentido", conclui Joanna, que vive em Belo Horizonte e treina no Centro Esportivo (CTE) da UFMG.

A pernambucana foi a atleta mais eficiente do Maria Lenk. Ela venceu cinco provas (400m livre, 200m medley, 200m borboleta, 400m medley e revezamento 4x200m livre) e ganhou uma medalha de prata (4x100m medley), além de ter batido os recordes sul-americano nos 200m borboleta e brasileiro nos 400m livre.

Saiba mais:
Quatro 'mineiros' são convocados para o Mundial de Natação da Hungria, em julho
Com vagas limitadas por crise, 38 nadadores de Minas disputam última seletiva para o Mundial
Entrevista: Joanna Maranhão aponta 'ditadura' na CBDA e mau uso de verbas na Rio-2016
Operação da PF prende cinco em investigação de desvios de recursos públicos à CBDA

OITO MELHORES ÍNDICES TÉCNICOS

1 – Felipe Lima – 100m peito – 930 – Minas Tênis
2 – Gabriel Santos – 100m livre – 927 - Pinheiros
3 – João Gomes Junior – 100m peito – 926 - Pinheiros
4 – Thiago Simon – 200m peito – 915 - Unisanta
5 – Leonardo de Deus – 200m borboleta – 913 - Unisanta
6 – Marcelo Chierighini – 100m livre – 907 - Pinheiros
7 – Henrique Martins – 100m borboleta – 901 – Minas Tênis
8 – Guilherme Guido – 100m costas – 900 - Pinheiros

ATLETAS ACRESCENTADOS NA LISTA FINAL

9 – Brandonn Almeida – 400m medley – 900 - Corinthians
10 – Joanna Maranhão – 400m medley – 894 - Unisanta (CTE-UFMG)
11 – Bruno Fratus – 50m livre – 894 – Internacional de Regatas
12 – Manuella Lyrio – 200m livre – 892 - Pinheiros
13 – Guilherme Costa – 1500m livre – 887 - Unisanta
14 – Etiene Medeiros – 50m livre – 883 - Sesi
15 – Cesar Cielo – 50m livre – 883 - Pinheiros
16 – Nicholas Santos – 50m borboleta – 976 - Unisanta