Se tomarmos como base as últimas declarações de jogadores do Santos, o time paulista deverá pressionar o Atlético Paranaense, nesta quinta-feira, às 21h45, no estádio da Vila Belmiro, em Santos, no segundo jogo entre as equipes pelas oitavas de final da Copa Libertadores, esquecendo a vantagem obtida na partida de ida, em Curitiba, quando venceu por 3 a 2.

Os atletas do Santos têm demonstrado muito respeito pelo time rubro-negro paranaense, que venceu os três últimos jogos pelo Campeonato Brasileiro (Vasco, Avaí e Palmeiras) e detém a quarta melhor campanha como visitante na competição. Por isso, deixam claro que a estratégia será manter o DNA ofensivo do clube e aproveitar o apoio maciço do torcedor - a maior parte dos 16.500 ingressos disponibilizados já foi vendida - para confirmar a classificação à próxima fase do torneio continental.

"A equipe tem que manter o mesmo nível, a mesma intensidade dentro da Vila Belmiro. Contando sempre com o apoio do torcedor, que a gente sabe que vai ter. E o espírito é o de Libertadores. Sabemos que vai ser um jogo complicado. Apesar dessa vantagem do primeiro jogo, não está decidido. O Santos entra em campo em busca da vitória", analisou o volante Renato, que ainda sente dores musculares e nem foi relacionado pelo técnico Levir Culpi para a partida. Alison será o titular da posição.

No entanto, a equipe santista deverá ter força máxima na defesa com Vanderlei, Victor Ferraz, David Braz, Lucas Veríssimo e Zeca compondo o setor. Lucas Lima estará no meio de campo com a missão de armar o time. Outra novidade poderá ser a estreia do atacante Nilmar, que, após longo período inativo e fazendo um trabalho de recuperação física e técnica, foi inscrito pelo clube na Conmebol e poderá surgir no time.

Já o Atlético Paranaense, motivado pelo bom retrospecto nas partidas que disputa fora de Curitiba, pensa em surpreender o Santos e garantir a classificação para as quartas de final da Libertadores - o time rubro-negro já superou Deportivo Capiatá (Paraguai), San Lorenzo (Argentina) e Universidad Católica (Chile) em cinco jogos como visitante no torneio continental.

O técnico Fabiano Soares terá em campo praticamente a sua força máxima. A exceção é o zagueiro Wanderson, expulso na partida contra a Universidad Católica, cumpre mais um jogo de suspensão, além do volante Otávio, que disputou o primeiro jogo desta fase da Libertadores, mas foi negociado com o Bordeaux, da França.