Desde a temporada 2003/04, quando o MRV/Minas perdeu a final da Superliga Feminina de Vôlei para o Osasco, uma equipe mineira não chegava à decisão da principal competição nacional. Porém, 12 anos depois, finalmente o tabu será quebrado no próximo domingo (3), quando o Dentil/Praia Clube entrará em quadra, às 9h20, no Ginásio Nilson Nélson, em Brasília, para encarar o Rexona.

Coincidentemente na última vez que uma equipe mineira chegou à final da Superliga, foi também a última vez que o Rio ficou de fora da decisão. Para chegar à final, o Praia atropelou o Camponesa/Minas por 3 sets a 0, parciais de 25/21, 25/18 e 25/22, na noite desta segunda-feira (28), no terceiro jogo da série semifinal.

Rio atropela Osasco e disputará final da Superliga pela 12ª temporada seguida

Destaque para a ponteira Michelle, do Praia, foi eleita melhor jogadora da partida. “Nossa equipe está de parabéns pela ótima atuação hoje, tanto que qualquer jogadora poderia ganhar a eleição de melhor em quadra. Acho que deram pra mim, porque consegui fazer boas defesas e também ajudei o time no ataque”, disse a jogadora.

Para Walewska a classificação do Praia à final é uma premiação ao trabalho sério que o time tem feito nos últimos anos. “Essa torcida merecia essa final tão sonhada por eles. Esse projeto de alguns anos finalmente está sendo coroado. Mas ainda falta a decisão, temos menos de uma semana para nos preparar para enfrentar o melhor time do país em mais de uma década”, avaliou a meio de rede.

Do lado do Minas, a central Carol Gataz lamentou o 'azar' que o time teve logo no jogo mais importante do ano. “Nossa equipe está de parabéns, mas no final sentimos um pouco essa decisão. Não conseguimos repetir o que fizemos nas duas primeiras partidas, e esse nervosismo acabou passando para a Naiane que é uma excelente levantadora e muito jovem. Infelizmente aconteceu de no dia mais importante”, lamentou a jogadora.

O jogo
Assim como havia sido os dois primeiros jogos, a terceira partida da semifinal começou muito equilibrada. Do lado do Minas a oposta Rosamaria começou virando todas as bolas, tanto que o time belo-horizontino chegou ao primeiro tempo técnico na frente, 8 a 6. A partir daí a ponteira Michelle começou a defender tudo, ajudando o Praia a encostar no placar na segunda parada obrigatória, 16 a 15. A partir daí o Minas começou a errar muito o que ajudou o Praia a fechar o set em 25 a 21, em ataque de Alex. Ao todo, foram dez erros do Minas contra apenas dois do Praia.

No segundo set a dupla Natasha e Claudinha mostrou que o Praia não aliviaria o ritmo e o volume de jogo. Com isso, logo de cara o time do triângulo abriu 8 a 4, no primeiro tempo técnico. Marcando bem a oposta Tandara, do Minas, o Praia chegou na segunda parada obrigatória vencendo por 16 a 13, em um bloqueio de Claudinha. Aí foi só manter o que vinha dando certo para fechar o set em tranquilos 25 a 18, em um ataque de Daymi que explorou o bloqueio.

No terceiro e derradeiro set, parecia que o Minas reagiria, quando chegou à frente nos dois tempos técnicos, 8 a 6 no primeiro, e 16 a 14 no segundo. As centrais Mara e Carol Gataz davam o tom da partida, porém, quando abriu 21 a 18, tudo começou a dar errado para o Minas e certo para o Praia, que virou e fechou o set por 25 a 22 em um bloqueio de Walewska, e a partida em 3 sets a 0.

 

Que história mais linda!!! Que torcida simplesmente inacreditável! Que jogo de superação, de mudanças no placar, de garra, de vontade!! Claudinha, Ju Carrijo, Francine, Waleswksa, Natasha, Edneia, Renata, Michelle, Pri Daroit, Alix, Ju Costa, Daymi, Malu, Tássia, Luana, Ricardo Picinin e toda comissão técnica: vocês escreveram mais uma belíssima página na história do nosso gigante Praia Clube!! Vamos, Dentil!!! Domingo é a final! #SuperLiga #Dentil #praiaclube #rumoafinal #Brasilia

Publicado por Praia Clube Uberlandia em Segunda, 28 de março de 2016


Ficha do jogo
Dentil/Praia Clube
Daymi, Claudinha, Alix, Michelle, Natasha, Walewska e a líbero Tássia. Entraram: Malu, Ju Carrijo e Pri Daroit.
Técnico: Ricardo Picinin

Camponesa/Minas
Rosamaria, Naiane, Carol Gataz, Mara, Mari Paraíba, Tandara e a líbero Laís. Entraram: Carla, Val, Samara, Karol Tormena e Marcelinha.
Técnico: Paulo Coco