Inicialmente previsto para acontecer nesta sexta-feira, o velório coletivo de jogadores, membros da diretoria e comissão técnica da Chapecoense será realizado a partir da manhã deste sábado, na Arena Condá, em Chapecó (SC). A confirmação foi feita na tarde desta quinta-feira pelo novo presidente do clube catarinense, Ivan Tozzo, que passou a ser o principal administrador da Chapecoense após o acidente aéreo que provocou a morte de 71 pessoas na última terça, na Colômbia. O dirigente informou sobre o reagendamento da data para o velório após a nova previsão para a chegada dos corpos das vítimas a Chapecó, que deverá acontecer entre meia-noite de sexta-feira e 6 horas da manhã de sábado. Os mortos serão trazidos em aviões cedidos pela Força Aérea Brasileira.

"Pela informação que recebi, os corpos vão chegar aqui na madrugada de sábado. Então, provavelmente, o funeral será feito no sábado pela manhã", afirmou o dirigente, em entrevista coletiva, na qual em seguida lembrou que os corpos já foram identificados e estão sendo embalsamados em uma funerária colombiana para poderem seguir rumo a Chapecó. Uma previsão inicial dava conta de que o velório começaria por volta do meio-dia de sexta-feira, mas o mesmo foi remarcado para este sábado, quando a Arena Condá estará aberta para receber a torcida e a população de Chapecó em geral, após uma cerimônia inicial fechada, com a presença apenas dos familiares das vítimas. A organização espera receber cerca de 100 mil pessoas ao longo do velório. O acesso do público será apenas nas arquibancadas. Depois de quatro horas de velório, os corpos serão liberados e as famílias poderão levá-los para suas respectivas cidades. Em Chapecó, permanecerão os corpos de pessoas ligadas ao clube e os jornalistas locais.