Encarar o Cruzeiro de igual para igual no Horto e se manter entre os quatro melhores da primeira fase do Campeonato Mineiro é obsessão no América. Terceiro colocado, com 11 pontos, cinco a menos que a Raposa, o Coelho tem na vontade de vencer do zagueiro Rafael Lima o espírito que pretende colocar em campo neste domingo (12).

Contratado no início do ano para reforçar o setor defensivo, o catarinense, de 31 anos, logo ganhou a confiança do técnico Enderson Moreira. Presenteado com a braçadeira de capitão, ele chamou para si a responsabilidade de ser o porta-voz do grupo alviverde, dentro e fora dos gramados.

"Foi muito boa a minha vinda pra cá. Fui muito bem recebido e o Enderson passou toda confiança para mim, juntamente com a diretoria. Quando você se torna capitão de uma equipe tão grande assim, a responsabilidade aumenta. Eu procuro trabalhar dentro da minha seriedade e profissionalismo para mostrar que eu sou capaz de exercer tal responsabilidade", conta o zagueiro ao Hoje em Dia.

Adaptado e feliz na capital, o "manézinho da ilha" já respira o ar belo-horizontino como legítimo mineiro e deixa claro o desejo de permanecer na cidade por muitos anos. Há três meses na nova casa, sempre que pode, Rafael junta a família e desbrava as atrações de BH.

"Conheço restaurantes, o zoológico e outros lugares. Adoro pão de queijo, feijão  tropeiro e outros pratos; a comida mineira é uma das melhores do brasil", comenta o camisa 3.

Clássico

Para superar o Cruzeiro, vice-líder do Estadual, a equipe de Enderson Moreira sabe o que precisa fazer. Para não repetir os erros que cometeu na derrota para o Atlético, por 4 a 1, Rafael Lima dá a receita: marcar bem o time celeste.

Ainda de acordo com o zagueiro, o grupo sabe que o adversário tem como setor mais forte o meio de campo, ao contrário do Atlético, que explora mais as jogadas de transição pelas pontas.

"Temos que pensar primeiro no jogo e em atuar bem. Quem olha apenas o resultado contra o Atlético vai achar que foi um massacre. Porém, jogamos de igual para igual e sofremos dois gols bestas nos últimos minutos do jogo", finaliza.

Números

Com sete partidas com a camisa do Coelho, Lima balançou as redes duas vezes, sendo a última dela na vitória do último domingo (5), por 1 a 0, sobre o Uberlândia. 

Porém, o que chama mais atenção é o desempenho do jogador em relação ao número de cartões vermelhoes. Ele está há dois anos sem levar um sequer. O último foi quando ainda vestia a camisa da Chapecoense, em 2015, clube que defendeu por cinco temporadas.

Para finalizar, nas seis primeiras rodadas do Estadual, o homem de confiança de Enderson Moreira acertou 22 passes, tornando-se um dos líderes da equipe no quesito.

Chapecoense

Com passagens por clubes brasileiros e também do exterior, o atual capitão do América fez história também na Chapecoense, clube que ficou mundialmente conhecido após o acidente aéreo na Colômbia, que resultou na morte da delegação, dirigentes e jornalistas.

Em cinco temporadas no clube Condá. Rafael só não esteve na tragédia por opção do técnico Caio Jr., uma das vítimas, que preferiu não tê-lo entre os relacionados. No total, foram 206 jogos e sete gols pelo clube de Chapecó-SC.

américa