O Real Madrid ampliou o seu domínio nesta temporada europeia ao conquistar neste domingo o seu 33º título do Campeonato Espanhol. Mesmo precisando apenas de um empate para ficar com a taça, o time garantiu o caneco com vitória ao derrotar o Málaga por 2 a 0, fora de casa, em seu último duelo nesta edição da competição nacional.

Finalista desta Liga dos Campeões, o time merengue terminou a sua campanha com 93 pontos, três à frente do Barcelona, que teve de se contentar com o vice-campeonato após derrotar o Eibar por 4 a 2, de virada, no Camp Nou, no outro confronto deste domingo que encerrou esta edição da liga espanhola.

Maior campeão espanhol, o Real não ficava com o título nacional desde a temporada 2011/2012 e encerrou a hegemonia do arquirrival Barça, campeão das duas edições anteriores da competição e também da temporada 2012/2013 - no período o Atlético de Madrid também levou o caneco em 2014/2015.

Sem poder perder para não depender do resultado da partida envolvendo o Barcelona, realizada no mesmo horário, o Real começou a facilitar a sua missão logo no primeiro minuto da partida contra o Eibar. Após bela bola enfiada por Isco entre os defensores, Cristiano Ronaldo recebeu a bola na cara do gol, passou com facilidade pelo goleiro Carlos Kameni e tocou para o gol vazio: 1 a 0.

O gol tranquilizou o Real e colocou mais pressão sobre o Barcelona, que, ao ser informado sobre o fato no Camp Nou, parece ter sentido o peso do golpe ao levar o primeiro gol aos 6 minutos da etapa inicial do duelo contra o Eibar. Após cruzamento da direita, o japonês Inui recebeu livre no segundo pau e desviou de primeira para a bola bater no travessão de Ter Stegen e entrar.

O Barça, por sua vez, sabia que apenas a sua vitória não era suficiente para ficar com o título, pois dependia de uma derrota do Real em Málaga. E a necessidade de vencer a qualquer custo seguia enervando os grandes nomes ofensivos do Barça. Pouco depois, aos 8 minutos, Suárez recebeu bola mal atrasada por um adversário e, livre na cara do gol, chutou à direita do goleiro Kameni.

Aos 13, o mesmo atacante uruguaio marcou após finalizar um cruzamento de Alba, mas o lateral estava impedido antes do passe e o gol foi corretamente anulado.

E Suárez, em noite infeliz, recebeu bola enfiada por Iniesta aos 35 minutos e, novamente na cara do gol, parou em boa defesa do goleiro.

BENZEMA DEIXA REAL PERTO DA TAÇA - O sonho do título do Barça seguia distante e ficou ainda mais distante aos 9 minutos do segundo tempo em Málaga, quando saiu o segundo gol do Real. Após escanteio batido da direita por Kroos, Sergio Ramos finalizou de primeira e Kameni fez grande defesa, mas deu rebote para a bola bater em Varane e sobrar para Benzema, em posição irregular, chutar para fazer 2 a 0.

Para completar a frustração do time catalão, que pareceu sentir o golpe de novo, o Eibar ampliou para 2 a 0 no Camp Nou, aos 15 minutos. Kike recebeu no meio da área e tocou de primeira na esquerda para Inui, que finalizou com estilo, com a bola no alto, e acertou o ângulo direito de Ter Stegen, que ainda viu a bola bater no travessão antes de entrar: um golaço.

O Barça continuava perdendo gols em série, mas começaria a conquistar a sua virada no placar aos 17 minutos. Após receber passe de Messi pela esquerda, Neymar tocou rasteiro na saída do goleiro. A bola bateu no pé da trave e voltou rápido no defensor Juncá, que não conseguiu dominar e marcou contra.

Pouco depois, aos 24, Messi teve chance de empatar em pênalti inexistente que o árbitro viu sobre Alba, que chutou o chão após tabelar com Neymar. O astro argentino, porém, finalizou no canto esquerdo do goleiro, que espalmou bem e manteve o Eibar à frente.

A vantagem no placar, entretanto, duraria apenas até os 27 minutos. Após escanteio da esquerda e bola desviada no primeiro pau, Suárez recebeu na segunda trave e desviou de sola para as redes: 2 a 2.

E já no minuto seguinte, Neymar invadiu a grande área adversária pelo lado esquerdo e foi derrubado. Novo pênalti, desta vez legítimo, que Messi bateu apenas aos 30 minutos no mesmo canto da primeira cobrança. Kameri voltou a tocar na bola, mas ela desta vez entrou ao ser finalizada com mais violência pelo argentino: 3 a 2. Antes disso, Capa, que derrubou Neymar, foi expulso após receber o segundo amarelo pela falta cometida no brasileiro.

O mesmo Messi faria mais um gol nos acréscimos do tempo normal, aos 46, desta vez de forma espetacular ao carregar a bola desde quase o meio-campo, enfileirar adversários e chutar de direita para selar o 4 a 2 no placar.

O gol, entretanto, de nada adiantou ao Barça, que terá de se contentar com a busca pelo título da Copa do Rei, no próximo sábado, contra o Alavés, na final que marcará a despedida do técnico Luis Enrique do time catalão, pois o treinador já anunciou há tempos que deixará o clube ao final desta temporada. Será a última chance de o Barcelona levantar um troféu nesta temporada.

Assim, o Barça seguiu também com 24 títulos espanhóis ao total e viu o arquirrival Real abrir 9 troféus de vantagem na frente no ranking dos maiores campeões nacionais. Derrotados nos dois últimos jogos que fecharam esta edição da competição, o Málaga fechou a sua campanha com 46 pontos na 11ª posição e o Eibar ficou apenas em 15º, com 39.