Um minuto é suficiente para mudar a história de uma partida e a situação de um clube num campeonato. O meia Jefersom Berger, do Uberlândia, sabe bem disso. Opção de banco no time do Triângulo Mineiro nas duas primeiras rodadas do Estadual, ele se tornou arma do alviverde nos 45 minutos finais.

Autor do gol do Verdão na estreia, na vitória por 1 a 0 sobre o Tricordiano, Berger, de 29 anos, precisou de um minuto em campo e um toque na bola para balançar as redes. 

Na rodada seguinte, no triunfo por 2 a 0 sobre o Democrata-GV, ele novamente foi acionado na etapa complementar e, apesar de não ter feito gol, deu trabalho à Pantera.

Único time do interior com 100% de aproveitamento e no G-4 do Estadual, o Uberlândia volta a campo domingo, às 17h, e encara o Atlético no Horto.

“É um jogo que merece uma atenção especial, pela grandeza do Atlético, mas não vejo motivos para entrarmos de maneira diferente”, diz Berger. “Tenho certeza que podemos surpreendê-los”, conclui.

Sobre a busca pela titularidade, o meia afirma não ter pressa. Feliz com as boas atuações até o momento, ele acha que virá de maneira natural.

Expectativa no Mineiro

Apresentado no Uberlândia em dezembro, Jefersom acredita que, pela experiência do grupo, o time do Triângulo não ficará[/TEXTO] de fora da fase final do Mineiro; drama vivido na edição passada.

“O segredo do Uberlândia é a dedicação. Estamos trabalhando muito desde a pré-temporada e assimilamos bem o que nos é pedido pelo Catanoce”, explica o capixaba, contratado junto ao Salgueiro-RJ.

Além da invencibilidade, outro quesito ostentado pelo Uberlândia é a eficiência no setor defensivo. Nos 180 minutos de bola rolando, o time alviverde não levou gol.

Um dos responsáveis por isso, o zagueiro Mauro Viana, sentiu na pele o gosto de figurar entre os quatro melhores do Estadual. Pela URT, de Patos de Minas, no ano passado, ele terminou a competição como “campeão do interior”.