Com um time completamente mexido, visando o jogo de quarta-feira pelas oitavas-de-final de Libertadores, contra o Flamengo, o Cruzeiro foi a Salvador e empatou em 1 a 1 com o Vitória, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro.
 
É a terceira partida seguida do Cruzeiro sem vitória na competição nacional, após as derrotas para Corinthians e São Paulo. Com o resultado, o time caiu para a oitava colocação, com 25 pontos, dez atrás do São Paulo.
 
No meio de semana, a Raposa terá os titulares de volta para o jogo de ida da Libertadores, no Rio de Janeiro. Curiosamente, enfrentará o mesmo Flamengo no próximo domingo, também na capital fluminense, no domingo.
 
Com dificuldades de impor o seu jogo nos primeiros minutos, o Cruzeiro foi, aos poucos, criando maior volume e tomando a iniciativa, apesar da visível falta de entrosamento de alguns jogadores.
 
Os erros de passes foram constantes, bem como uma desatenção da zaga formada por Murilo e Manoel, mas eles foram minimizados pela falta de combatividade dos donos de casa.
 
No lado do Cruzeiro, um dos destaques foi Rafael Sóbis, que acertou a trave aos 26 minutos, após boa tabela com Mancuello; e 12 minutos depois, bateu uma falta com capricho, no canto direito que do goleiro, que conseguiu espalmar para fora.
 
O número 1 do Vitória, por sinal, foi o principal responsável pelo placar ter sido alterado no primeiro tempo, fazendo boas defesas,embora tenha soltado uma bola nos pés do volante Bruno Silva.
 
No segundo tempo, Sóbis voltou a acertar as traves, desta vez a de cima, após cruzamento rasteiro de Marcelo Hermes. O atacante recebeu de costas, viou e chutou, acertando o tarvessão de Ronaldo.
 
Apesar deste lance de perigo, o Vitória voltou melhor, desperdiçando boas oportunidades nos primeiros 15 minutos, com Walter Bou, Yago e Neilton. O ex-cruzeirense perdeu um gol feito ao pegar um rebote e chutar a bola na trave.
 
Mais incisivo, o Vitória abriu o placar após uma jogada individual de Neilton, que foi derrubado por Murilo. O árbitro marcou pênalti, apesar de a falta ter acontecido fora da área. O próprio atacante bateu o pênalti e converteu, aos 26 minutos.
 
Enquanto a torcida baiana comemorava o gol, Mano sacou Sóbis, que estava mancando, e pôs Arrascaeta em campo. Não precisou de muito tempo para o uruguaio fazer a diferença. Ele cobrou falta na esquerda e Manoel subiu sozinho para empatar, aos 30.
 
O Vitória continuou em cima, com outro ex-cruzeirense, Wallyson, que entrou no lugar de Neílton, quase marcando, exigindo uma grande defesa de Rafael, que acabou sendou um destaque do Cruzeiro no segundo tempo.
 
Nos minutos finais, outro lance polêmico: Arrascaeta cobrou escanteio e novamente Manoel escorou a bola em direção às redes. A arbitragem viu falta do zagueiro ao saltar para o cabeceio e anulou o gol.
 
FICHA TÉCNICA
 
VITÓRIA - Ronaldo, Jeferson, Aderllan, Ruan Renato, Bryan, Marcelo Meli (Erick), Fillipe Soutto, Arouca, Neilton (Wallyson), Yago (Lucas Fernandes) e Walter Bou. Técnico: João Burse. 
CRUZEIRO - Rafael, Ezequiel, Murilo, Manoel, Marcelo Hermes, Ariel Cabral, Bruno Silva (Rafinha), Lucas Romero, Mancuello, Rafael Sóbis (Arrascaeta) e David (Raniel). Técnico: Mano Menezes.
GOLS - Neílton, aos 26, e Manoel, aos 30 minutos do segundo tempo.
CARTÕES AMARELOS - David, Marcelo Hermes, Murilo, Arrascaeta, Marcelo Meli, Arouca, Erick.
ARBITRAGEM - Eduardo Tomaz de Aquino Valadão (GO), auxiliado por Rodrigo Figueiredo Henrique Corrêa (Fifa/RJ) e Leone Carvalho Rocha (GO).
LOCAL - Barradão, em Salvador.
PÚBLICO - 7.193 pagantes.
RENDA - R$ 86.183,00.