O Atlético encontrou um estádio preparado para a festa da classificação à final da Copa do Brasil. Fogos de artifício, mosaico "Lutem pela Massa" e até mesmo a presença ilustre do futuro prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, o mais vitorioso presidente da história do clube. Entretanto, o show ficou só do lado de fora do campo.

Nas quatro linhas, um sufoco com direito a erro do goleiro Victor. Mas Lucas Pratto e Robinho compensaram a atuação fraca do alvinegro e foram essenciais para o empate em 2 a 2 no Horto, em um placar agregado de 4 a 3 para o Galo.

Com um time mal formatado, que passa dificuldades sem a posse de bola, o Galo largou atrás do Internacional. Com uma boa troca de passes, o jovem atacante Aylon recebeu livre na cara de Victor e chutou de forma indefensável.

O Inter, que nem estava tão quente assim no jogo, conseguia explorar a fragilidade defensiva do Galo sem muita dificuldade e ainda fechava os espaços para o contra-ataque alvinegro. O Atlético conseguiria o empate já nos acréscimos da etapa inicial. Luan roubou uma bola que ele mesmo perdeu e viu Lucas Pratto usar a inteligência (maior característica do argentino) para abrir a zaga colorada e servir Robinho. De canhota, no contrapé de Danilo Fernandes, o camisa 7 anotou o 25º gol no ano, máximo artilheiro do país.

A Massa no Independência já esperava o fim do primeiro turno quando veio um baque inesperado. O goleiro Victor falhou, e feio. Conhecido pela defesa de pênalti com os pés na Libertadores de 2013, o camisa 1 sofre com a bola recuada. Dominou errado e entregou de bandeja para Anderson deixar a decisão corrida para os pênaltis.

Um banho de água fria na torcida alvinegra, que apoiou o ídolo de luvas, imaginando uma reação positiva no segundo tempo. O Internacional chegou em um patamar inesperado. Com um time misto, sem o principal jogador (Vitinho) e totalmente focado na luta contra o rebaixamento, conseguia reverter a desvantagem do jogo de ida.

Mas Robinho, pela incontável vez na temporada, tiraria o Galo do sufoco. Donizete fez boa jogada no ataque tocou forte para o atacante. O "pedalada" tocou de primeira, no alto, para Lucas Pratto, sozinho. O camisa 9 dominou e esperou a saída do goleiro do Inter. Empate que devolvia o Galo à final da Copa do Brasil, a ser decidida contra o Grêmio em dois jogos, nos dias 23 e 30 de novembro.


Ficha Técnica:
Atlético 2x2 Internacional


Atlético: Victor; Carlos César, Gabriel, Erazo e Fabio Santos; Leandro Donizete e Junior Urso; Luan (Cazares), Robinho (Clayton) e Otero (Carioca); Lucas Pratto. Técnico: Marcelo Oliveira.

Internacional: Danilo Fernandes; Ceará; Alan Costa, Ernando e Artur; William, Fabinho, Rodrigo Dourado e Valdívia (Sasha); Anderson (Andrigo) e Aylon (Ariel). Técnico: Celso Roth.

Gols: Aylon, aos 27 minutos; Robinho, aos 47 minutos e Anderson, aos 49 minutos do primeiro tempo; Lucas Pratto, aos 16 minutos
Arbitragem: Jailson Macedo Freitas (BA), auxiliado por Alessandro Rocha de Matos (BA) e Bruno Raphael Pires (GO).
Cartões amarelos: Aylon, Ceará, Sasha, Valdívia e Artur (INT) Luan e Rafael Carioca (CAM)
Cartão vermelho: Paulão, do Internacional, aos 48 minutos do segundo tempo
Público: 20.447 pagantes
Renda: R$ 1.434.860,00