Robinho somou outro reencontro contra a equipe da sua carreira de forma discreta. Diante do Santos na última rodada do Brasileirão, o camisa 7 foi reserva de Marlone e entrou no fim da partida, quase não tocando na bola. Contra o Atlético-GO, neste domingo, ele pode ser novamente apenas opção do banco.

E será só a segunda vez desde que chegou ao Atlético que Robinho ficará como suplente em duas partidas seguidas do clube mineiro. E agora por motivo diferente. Na primeira ocasião desta dupla aparição entre os reservas, Robinho vinha de lesão ao ser picado por um inseto na coxa.

Agora, aliado a um desgaste físico e ao critério de Roger Machado em tar sequência de jogos ao meia-atacante Marlone, que apareceu bem diante da Chapecoense (fazendo o gol da vitória) e novamente balançou as redes contra o Botafogo.

"Eu tenho muitos jogadores que vem em nível de jogo que permita alterar o esquema e formação da equipe. No último jogo o Marlone foi titular, em função de dá-lo nova oportunidade, pois vinha entrando bem, decidido jogo contra a Chapecoense e o Botafogo. Era justo receber oportunidade e na função que o Robinho joga. E também pensando no desgaste menor deste jogador", disse o técnico Roger Machado.

Robinho, no começo de sua trajetória no Atlético, acabou ficando no banco por dois jogos seguidos após se lesionar antes da partida contra o Colo-Colo, no Chile, pela Libertadores 2016. Ficou afastado alguns jogos e retornou justamente diante dos chilenos no Horto, entrando no segundo tempo da vitória por 3 a 0. Posteriormente, foi suplente contra o Tupi, substituiu Cazares no 2º tempo igualmente e fez dois gols no Estádio Mário Helênio, em outra vitória por 3 a 0. 

Desta vez, porém, Robinho vem de críticas pela falta de desempenho semelhante ao ano passado. Apesar de ter números positivos e feito bom jogo diante do Botafogo no Nilton Santos, acumula aparições discretas. Para Roger, a análise do jogador deve ser contextualizada, principalmente por ter começado o ano com uma lesão nas costas pela Seleção Brasileira, que lhe custou o primeiro mês de jogos de 2017. 

"Coletivamente quando estamos bem, a individualidade vai acontecer. Em alguns momentos o jogador passa por uma crise mais técnica, mas isso tende a passar. No jogo contra o Botafogo, o Robinho foi muito bem jogando atrás do centroavante. No jogo seguinte, por opção do Marlone e volta do Cazares, que nessa função é hoje o titular, o Robinho só entrou no segundo tempo". 

O Atlético ainda tem mais um treinamento na manhã deste sábado para fechar a preparação para o duelo contra o Dragão na 14ª rodada. O provável time: Victor; Marcos Rocha, Bremer, Gabriel e Leonan; Rafael Carioca e Adilson; Elias, Cazares e Marlone (Robinho); Fred.