Um grande salto no desconhecido. Ou quase, já que, no automobilismo atual, conhecer uma nova pista no simulador, que fornece um cenário muito próximo da realidade, é regra, especialmente quando boa parte dos rivais têm maior experiência na categoria. Justamente por isso, a quarta etapa da Fórmula 2 começou para o mineiro Sérgio Sette Câmara muito antes de o sinal verde na saída dos boxes em Baku (Azerbaijão) se acender – o que vai acontecer na manhã de sexta feira.

As regras da categoria, que é o último passo antes do sonhado posto na Fórmula 1, trazem um cenário extremamente complicado para os estreantes. Antes de encarar a sessão de qualificação, tudo o que os pilotos têm para se acostumar ao traçado e buscar um acerto que funcione com os dois tipos de pneus usados no fim de semana é uma sessão livre de meia hora. Daí a importância de trabalhar em parceria com o engenheiro, na sede da equipe – no caso, a holandesa MP Motorsport. É a oportunidade de se familiarizar, de forma virtual, com detalhes como a marcha certa para cada trecho; as zebras, e onde é possível usá-las; os pontos de freada e reaceleração.

E a experiência do piloto de 19 anos na preparação para a corrida na longínqua ex-república soviética o deixou animado para lutar pelos primeiros pontos no campeonato. E iniciar bem uma sequência que atravessará todo o mês e prosseguirá em julho, com as etapas da Áustria (Red Bull Ring); Inglaterra (Silverstone) e Hungria (Hungaroring); diferentemente das ruas de Baku, bastante conhecidas pelo mineiro, de suas duas temporadas no Europeu de F-3.

"Em um mês vamos fazer mais corridas do que já fizemos até agora. No Azerbaijão terei a segunda oportunidade de acelerar com o carro da F-2 em um traçado de rua e uma ótima chance de fazer uma corrida sólida, mostrar meu potencial e começar a pontuar, o que já poderia ter acontecido. Em Barcelona cometi alguns erros por inexperiência, em Mônaco sofri com os problemas mecânicos ao longo de todo o fim de semana, não estive livre deles em nenhum treino ou corrida, agora é uma boa hora para fazer o meu campeonato engrenar", explica o único representante brasileiro na categoria.