Ele poderia ter se abatido com a desclassificação na segunda corrida da rodada dupla do Azerbaijão – recebeu a bandeirada em segundo, mas perdeu o lugar no pódio e os pontos porque o carro da equipe Carlin não contava com a quantidade mínima de gasolina no tanque exigida pelo regulamento. Se pesou na economia do campeonato, no entanto, não foi capaz de tirá-lo do lugar entre os três primeiros, objetivo inicial nessa temporada da Fórmula 2. A partir de hoje, Sérgio Sette Câmara volta a acelerar seu Dallara Mecachrome, agora em terreno bastante conhecido.

Não que o mineiro tenha mais chance que os rivais de treinar nos 4.655m de Montmeló, circuito a pouco mais de 40 quilômetros de Barcelona ­­– assim como na F-1, os testes na catgoria de acesso são bastante limitados. Mas o circuito é o "de casa" para quem está radicado na região desde que chegou à Europa para se aventurar no kart, em 2013. O que já elimina a necessidade de viagens desgastantes e permite se concentrar desde o começo na missão que tem pela frente: não deixar que o companheiro de equipe e líder da temporada Lando Norris escape. São 15 pontos de diferença, com 48 distribuídos a cada rodada dupla.

Um dos desafios para o fim de semana de Serginho é o elevado desgaste dos pneus por conta do asfalto abrasivo, o que exige uma pilotagem ainda mais fina, sem erros ou travadas de freios. Algo nem sempre simples, considerando que a longa reta dos boxes, em que os carros da F-2 alcançam os 300 km/h, é o único ponto claro de ultrapassagem.

Justamente por não favorecer tanto as disputas por posição, o mineiro de 19 anos sabe que a qualificação de hoje, às 11h55 (de Brasília) terá importância redobrada: "mesmo com o DRS (asa traseira móvel), as ultrapassagens devem ser mais difíceis que no Bahrein e em Baku. Assim, a tomada de tempos será muito importante para definir os caminhos a tomar para a corrida. Por este mesmo motivo, as largadas e as estratégias dos pit-stops, certamente, irão definir os resultados das corridas, garante o piloto, confiante em mais um bom trabalho da Carlin na definição do acerto. Serginho conseguiu, no Barein, um segundo e um terceiro lugares, aos quais se somou o quarto lugar na primeira prova nas ruas de Baku. Na segunda, em que acabaria desqualificado pela falha de cálculo do time, chegou a ocupar a liderança, sendo superado apenas pelo vencedor George Russell, da equipe ART.

A corrida de amanhã, com 37 voltas, terá largada às 11h40 (de Brasília). No domingo serão 26 voltas (sem pitstop obrigatório), a partir das 6h30. As oito primeiras posições da véspera são invertidas na formação do grid.