No basquete, o Minas Tênis já chegou a vestir a camisa do tricolor das Laranjeiras para representá-lo no Campeonato Carioca. No vôlei, no entanto, verde, branco e grená são sinônimo de rivalidade, especialmente na atual temporada.

Pela quarta vez desde setembro, as duas equipes se enfrentam – agora pela segunda rodada do returno da Superliga Feminina, às 20h, na Arena JK (ingressos a R$ 20, com meia-entrada a R$ 10). E, em jogo, está a quarta posição na fase classificatória, o que é especialmente valioso para as quartas de final, já que permitirá fazer dois dos três jogos do playoff em casa – a terminar assim, seria justamente o confronto por uma das vagas nas semifinais.

A equipe do técnico Stefano Lavarini levou a melhor nos três confrontos: 3 a 1 no Final Four amistoso de Lima (Peru), 3 a 0 no turno da Superliga e 3 a 1 pela primeira rodada da Copa Brasil – as mineiras se classificaram para as semifinais contra o Praia, dia 19, em Lages (SC).

Mais do que o retrospecto, é justamente a diferença de apenas um ponto entre as equipes o que faz prever um confronto equilibrado. “Enfrentar um time em crescimento como o Fluminense não será fácil. Esperamos fazer o melhor para conquistar mais uma vitória”, destaca a central e capitã Carol Gattaz.

Preparação
O treinador italiano do Minas ainda não conta com a ponteira norte-americana Sonja Newcombe, que se apresentou semana passada. A jogadora de 29 anos, que estava no Legnano, da Itália, passa por um período de condicionamento físico e a previsão é de que já nas próximas rodadas ganhe condições de estrear.

Leia mais:

Sada Cruzeiro e Minas Tênis voltam à quadra. Agora é a vez da Copa Brasil Masculina