O Circuito Mundial de Surfe conta com um novo brasileiro campeão em seu elenco. Willian Cardoso brilhou neste sábado e faturou a etapa de Margaret River, que foi disputada nas ondas de Uluwatu, em Bali, na Indonésia. Na final, o catarinense superou o favorito australiano Julian Wilson por 15,57 a 14,43.

Foi o melhor resultado da carreira do surfista no Circuito Mundial. Aos 32 anos, Cardoso chegou a sua primeira final de etapa e venceu pela primeira vez em seu primeiro ano na elite do surfe mundial. Até então, o atleta, nascido em Joinville mas radicado em Balneário Camboriú, só havia brilhado na divisão de acesso do Circuito.

Nos últimos anos, Cardoso chegou a cogitar a aposentadoria do surfe profissional em razão das dificuldades para realizar o sonho de competir na elite. No fim da temporada de 2016, ele perdeu seu patrocinador e, no ano seguinte, precisou vender o seu carro para seguir na disputa.

Para chegar à decisão, o catarinense precisou superar rivais de maior experiência na elite, como o compatriota Filipe Toledo, campeão da etapa do Rio de Janeiro, no mês passado. Nas quartas, Cardoso bateu Filipinho por 14,24 a 11,67. Na semifinal, superou outro australiano, Mikey Wright, por 13,77 a 13,16.

No começo deste sábado, no horário local, o brasileiro caiu diante do compatriota Gabriel Medina (17,07), mas superou o australiano Connor O'Leary (14,63) na bateria tripla das oitavas de final. Cardoso anotou 14,66 para se manter na briga. Na mesma fase, o também brasileiro Michael Rodrigues foi eliminado.

Ao cair nas quartas de final, Filipinho perdeu a chance de terminar a etapa na liderança do ranking da temporada. A ponta pertence agora a Julian Wilson, que retoma a primeira colocação, apesar do vice-campeonato na etapa encerrada neste sábado. Toledo é o segundo colocado, abrindo uma sequência de brasileiros na classificação. Atrás dele vem Italo Ferreira, Medina e o próprio Cardoso.

O surfista catarinense foi o único brasileiro na semifinal porque Medina caiu nas quartas, diante de Mikey Wright por 11,13 a 10,90.

A etapa finalizada neste sábado teve início em Margaret River, na Austrália, há quase dois meses, mas foi interrompida por causa da presença de tubarões. Por conta do calendário, a organização da competição optou por manter os surfistas na Indonésia, onde aconteceu a última etapa. A competição masculina teve início a partir da terceira fase, quando a etapa foi interrompida na Austrália.

FEMININO - No outro naipe da etapa, a brasileira Tatiana Weston-Webb precisou se contentar com o vice-campeonato. Na final, ela foi superada pela francesa Johanne Defay por 13,13 a 12,67. Com o resultado, a surfista do Brasil ocupa agora a terceira colocação do ranking da temporada.