Camisa 13, número emblemático no Atlético. É de Rafael Moura, atleticano assumido e tido como um torcedor dentro de campo, a responsabilidade de vestir o número que representa o clube. Foi do atacante o gol que salvou o Galo neste domingo, o segundo do Galo na vitória sobre o São Paulo por 2 a 1, no Morumbi, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro. 

Salvador da tarde, Rafael Moura comemorou o gol importante e, mais do que isso, a fuga do Atlético da zona de rebaixamento do Brasileirão. 

“A gente tem que treinar e se dedicar ao máximo. Tive uma chance no primeiro tempo, mas não caiu na perna boa e eu estava desgastado com o jogo intenso. Mas não podemos errar duas chances. Isso é fruto de um trabalho de finalização e de acreditar em todas as bolas. Fui feliz e coroamos toda a dedicação do grupo, que vinha merecendo uma vitória há muito tempo”, comemorou o substituto de Fred, que pelo segundo jogo consecutivo ficou fora de combate. 

Na visão de Rafael Moura, a vitória alvinegra teve a marca da união. “Foi gratificante, a gente vive um momento delicado na tabela, não conseguíamos os resultados e havia muita cobrança externa e muito também interna, pois com esse grupo a gente não poderia estar nessa situação. Conversamos sobre metas, o Roger separou em blocos e precisávamos começar a somar pontos.

Na visão do jogador, uma vitória diante do Sport, na próxima quarta-feira, no Independência, é de suma importância para recuperar o moral com o torcedor.“Estamos felizes demais com a vitória, agora precisamos fazer o dever de casa com apoio do torcedor, estamos devendo isso também, para subirmos na tabela”, comentou.