A vitória fora de casa por 2 a 1, diante do Atlético Paranaense, serviu para Thiago Larghi justificar a desclassificação da Sul-Americana, para o San Lorenzo, na terça-feira, quando usou os reservas.  

Segundo o técnico, o fato de ter um grupo mais descansado, diferentemente do adversário de hoje (13), fez a diferença no segundo tempo, quando saíram os dois gols do triunfo atleticano.

“Sofremos algumas críticas por poupar jogadores na Sul-Americana, mas fez parte do planejamento para chegar aqui mais inteiro fisicamente e ter intensidade até o final da partida”, observou.

Para ele, o resultado de terça não pode ser desprezado, mesmo com a eliminação da competição. “O grupo saiu muito fortalecido, com a atuação de alguns jogadores que não vinham tendo chances”.

Larghi explicou a entrada de Cazares e Elias, antes do final do primeiro tempo, como forma de dar motivação e gás extra ao time, já que o Galo vinha permitindo que os paranaenses jogassem de maneira confortável.

O treinador elogiou o zagueiro Bremer, que entrou no lugar de Leonardo Silva como uma opção estratégica, devido ao jogo rápido do Furacão, e de Blanco, que suportou a pressão psicológica da torcida, após dar um carrinho que tirou Renan do jogo.