Com a missão de classificar o Brasil para a Copa já cumprida, o técnico Tite volta a convocar a Seleção nesta quinta-feira (10), às 11h, quase cinco meses após a última partida oficial da equipe canarinho. E nada indica a presença de jogadores dos clubes mineiros nos planos do treinador para esta reta final de preparação visando ao Mundial da Rússia.

Serão chamados 23 nomes para os duelos contra Equador e Colômbia, pela penúltima rodada dupla das Eliminatórias Sul-Americanas. Os jogos estão marcados para os dias 31 de agosto, na Arena do Grêmio, e 5 de setembro, na cidade de Barranquilla.

A expectativa é que Tite aproveite a situação confortável no torneio para fazer novos testes e dar oportunidades a atletas do futebol brasileiro. Vale lembrar que muitos destaques da Seleção estavam de férias e se reapresentaram recentemente para o início da temporada europeia.

Banco e amistoso

Desde o início do trabalho do novo técnico, há cerca de um ano, cinco jogadores do futebol mineiro foram convocados. Nenhum deles, contudo, vive grande fase na atualidade.

Rafael Carioca foi quem teve mais chances. Novidade na primeira lista de Tite, o volante ficou no banco contra Equador e Colômbia no primeiro turno das Eliminatórias. Depois, voltou a ser chamado para os confrontos com Bolívia e Venezuela, desta vez substituindo o lesionado Casemiro, e novamente não entrou em campo.

Fábio Santos também herdou uma oportunidade em jogo oficial, diante do Peru, devido a uma suspensão do titular Marcelo. Porém, da mesma forma, ficou apenas no banco.

O camisa 6 acabou acionado no “Jogo da Amizade”, ao lado do atacante Robinho. O lateral atleticano Marcos Rocha e o volante cruzeirense Henrique também foram convocados, mas permaneceram como suplentes no amistoso com a Colômbia, em janeiro, para o qual foram chamados apenas jogadores em atividade no Brasil.

Em baixa

Conforme relatório divulgado pela CBF a pedido do canal SporTV, a comissão técnica da Seleção Brasileira assistiu presencialmente a 23 partidas do Campeonato Brasileiro de 2017.

Grêmio, Flamengo e Corinthians foram os mais observados (oito, sete e seis jogos, respectivamente). O Atlético teve uma atuação analisada in loco, assim como Avaí, Coritiba, Vasco e Vitória. Já o Cruzeiro não foi visto nenhuma vez.