O "voleio perfeito" dado por Arrascaeta e o golaço marcado pelo uruguaio no clássico contra o América repercutiram tanto no Brasil quanto no exterior. Além dos torcedores do Cruzeiro, a imprensa uruguaia faz lobby para que o gol seja inserido na eleição do Prêmio Puskás, realizada pela Fifa e que elege o "tento" mais bonito da temporada.

Se dentro de campo Arrascaeta é abusado, nas entrevistas coletivas é tímido e acanhado. E do seu jeito, na sua personalidade, disse que o gol da vitória por 1 a 0 sobre o América, que impressionou o continente sul-americano, foi o mais bonito de sua carreira. 

"Foi o mais bonito que fiz na minha carreira", disse prontamente.

Perguntando sobre uma possível indicação ao Prêmio Púskas, o meia não respondeu diretamente, mas disse que durante o ano acontecerão outros "gols incríveis". 

"Acho que teremos muitos gols bonitos durante o ano. Foi um lindo gol quando vemos toda a jogada. Tem gols que você olha e fala que são inacreditáveis por terem acontecido. Mas ( o gol de voleio contra o América) foi um lindo gol", reiterou o camisa 10.

O tento marcado por Arrascaeta foi o primeiro gol do gringo na temporada, e, inclusive, o jogador já estava sendo "cobrado" pelo treinador. Mano Menezes até disse em coletiva de imprensa após a vitória diante do América que o meio-campista superou a expectativa, pois o comandante havia pedido um "golzinho", mas acabou vendo um golaço. 

"Estava na hora de fazer um gol, tinha feito um que foi anulado (contra o Tupi, na estreia do Campeonato Mineiro). O importante foi manter a calma. Sabia que o gol naturalmente iria chegar. Quando se corre atrás dele fica mais longe. O ideal era ficar tranquilo", explica.

Arrascaeta chegou ao 36º gol com a camisa do Cruzeiro em quatro temporadas no clube. Agora o uruguaio é o terceiro na lista de estrangeiros com mais gols pela equipe celeste, ao lado do argentino Montillo, que atuou na Raposa entre 2010 e 2011.