Três pontos, mas, acima de tudo, tranquilidade. É o que estará em jogo hoje, às 21h, quando América e Atlético se reencontrarem para o quarto clássico do ano, desta vez pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O mandante quer manter a tranquilidade proporcionada pela melhor campanha do Coelho na era dos pontos corridos, com 13 pontos, a 11ª posição e quatro vitórias, bem diferente do cenário de luta desesperada contra o rebaixamento das últimas presenças na elite.

Já o visitante, embora à frente na classificação, tenta dar fim a uma fase conturbada e com reflexos dentro e fora de campo. Sem vencer há três rodadas – derrotas para Flamengo e Sport e empate com a Chapecoense, o Galo se distancia da posição entre os três primeiros traçada como objetivo pela diretoria para a pausa da Copa do Mundo. Para complicar o cenário, o venezuelano Otero, que vinha sendo o termômetro do time, foi emprestado ao Al-Wehda, da Arábia Saudita, jogadores como Róger Guedes e Cazares são assediados e a torcida fez protestos diante da sede de Lourdes.

Uma situação que, segundo os jogadores, não pode refletir na partida, como destaca Gustavo Blanco, ex-atleta americano que volta ao meio-campo alvinegro depois de cumprir suspensão diante da Chape.

“A gente entende que o torcedor esteja chateado, especialmente com os últimos resultados, mas não adianta carregar esse peso para o campo, ou isso acaba tirando nossa confiança. É preciso jogar com a alegria que vínhamos mostrando, tentar impor nosso ritmo. É um adversário difícil, mas a partir de agora cada rodada é uma final para nós”, destaca o volante.

Blanco não é a única novidade no time em relação à partida de sábado. Para reforçar a defesa, Thiago Larghi optou pelo retorno de Patric na lateral-direita e, sem Fábio Santos, vai improvisar o zagueiro Juninho na esquerda. Leonardo Silva volta à zaga, ao lado de Gabriel.

Xerife
Pelo Coelho, tudo indica que o xerife Leandro Donizete reencontrará o ex-clube, pelo qual foi campeão da Libertadores em 2013. O volante está recuperado de contusão e participou do último trabalho do técnico Enderson Moreira. Luan, expulso diante do Corinthians, também retorna.

O treinador evita falar nos fatores extra-campo e lembra que o simples fato de que o rival está um ponto à frente é motivo para respeito e preocupação.
“O clássico é extremamente difícil independentemente da situação de cada time. Eles passaram por dificuldades como nós passamos. Estamos focados naquilo que realmente precisamos, os atletas que o adversário tem, a organização com o Thiago Larghi, tudo que eles podem nos trazer de dificuldade”.

FICHAAMECAM