Por questão de centímetros, duas vezes, o Cruzeiro não conseguiu o segundo gol na partida contra o Tombense, na tarde deste domingo (19), no Mineirão. A Raposa, que enfrentou um adversário de forte poder defensivo, pressionou mas, não conseguiu sair do empate em 1 a 1, tendo acertado a trave duas vezes.

O time celeste, com este resultado considerado ruim, aumenta a distância para o Atlético em quatro pontos. Sendo assim, não dependerá só dele para ser líder da primeira fase, mesmo com o duelo direto contra o Galo na 10ª rodada. A Raposa chega a 20 pontos, com mais três rodadas para jogar.

O JOGO
Enfretando um dos mais organizados times do interior mineiro, o Cruzeiro conseguiu mandar no jogo e criou todas as boas chances de ataque do primeiro tempo.

Entretanto, faltava o ímpeto que a única equipe da Série A ainda invicta em 2017 costuma apresentar. Com jogadas rápidas no ataque, o time celeste teve um chute perigoso de Rafael Sóbis, espalmado pelo goleiro do Tombense. Mas conseguiria abrir o placar em umaa grande jogada de Arrascaeta, para levantar a torcida e 630 crianças da rede municipal de ensino de BH.

O uruguaio recebeu lançamento de Ariel Cabral. Com marcação dupla, deu um corte seco para a bola cair no pé bom e, perto da pequena área, chutou no ângulo, sem chance de defesa.

O camisa 10 ainda brilharia novamente em cobrança de falta. Acertou o travessão adversário. No rebote, Rafinha (que havia entrado há pouco no lugar do lesionado Robinho), fez o gol, mas corretamente anulado por impedimento.

O Tombense, recuado, tentava contra-ataques, principalmente pela ponta direita. Mas Diogo Barbosa e Manoel erguiam uma muralha. Algo que não aconteceria do outro lado da defesa, no segundo tempo.

Logos aos 39 segundos de partida na etapa complementar, o rápido atacante Alex Gonçalves foi lançado nas costas de Ezequiel e Léo. Com um chute seco, empatou a partida.

A igualdade no placar fez a torcida cruzeirense gritar mais alto para ajudar o time. A resposta imediata foi mais uma bola na trave do uruguaio Arrascaeta. Desta vez, porém, o armador mais atrapalhou o companheiro Manoel do que quase fez o gol.

Melhor jogador do Cruzeiro nesta temporada, o camisa 10 era a arma da Raposa. Com o pé calibrado, bateu outra falta venenosa, perto do bico da grande área. Darley, o arqueiro de Tombos, caiu bonito para espalmar.

Com faltas em qualquer contato físico e ausência de cartões amarelos claros (como numa falta que levaria a expulsão de Roberto), o juiz irritou o time celeste. Mais irritado estava Mano Menezes, que tirou Rafinha para a entrada de Ábila.

O Tombense também reclamou da arbitragem. Em um belo lance individual do atacante Daniel Amorim, que deu uma caneta num corta-luz em Léo, o centroavante caiu na área e a impressão foi de que o dono do apito aliviou para a Raposa.

O time celeste se mandou ao ataque nos 5 minutos finais da partida, cansou de levantar a bola na área adversária, mas o jogo aéreo foi dominado pelo time de Tombos, que irá percorrer o caminho de volta para casa em festa pelo um ponto conquistado.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 1X1 TOMBENSE

Cruzeiro: Rafael, Ezequiel, Léo, Manoel e Diogo Barbosa; Henrique, Ariel Cabral e Robinho (Rafinha, depois Ábila); Arrascaeta, Alisson (Élber) e Rafael Sóbis. Técnico: Mano Menezes

Tombense: Darley; André Krobel (Roberto), Welligton Carvalho, Anderson e Matheus Oliveira; Natan, Pedro Castro, Jonathan e João Paulo; Alex (Léo Lisboa) e Tauã (Daniel Amorim). Técnico: Raul Cabral

Gols: Arrascaeta, aos 30'/1ºT; Alex, aos 39''/2ºT
Arbitragem: Murilo Francisco Misson Junior; auxiliado por Magno Arantes Lira e Pedro Araújo Dias Cotta.
Cartões amarelos: Rafinha, Manoel Ezequiel (Cruzeiro) Alex, João Paulo, Matheus Oliveira, Roberto e Darley (Tombense)
Público: 8.161 pagantes
Renda: R$ 143.806,00