O volante Junior Urso chegou sem pompa, com apenas um contrato de empréstimo, mas bicou as oportunidades de forma cirúrgica. No clássico contra o Cruzeiro, ele estreou na rivalidade colocando um respeitável jogador do Galo no banco (respeito adiquirido, principalmente, diante da Raposa). O camisa 23 do Galo analisou a briga por posição que trava e, até o momento, ganha, com Leandro Donizete.

"Acho que é uma briga saudável. O Donizete é um excelente profissional, respeito muito ele, assim como os demais jogadores do elenco e da mesma posição. Respeito e continuo trabalhando para ter essas oportunidades que o treinador tem me dado. Para cada dia estar jogando e mostrando meu futebol. Hoje foi um dia à parte, um clássico, às vezes vai faltar técnica, futebol, mas não faltará nunca a vontade de vencer, o espírito de luta. Hoje faltou mesmo o gol", disse Junior Urso, emprestado pelo Shadong Luneng até dezembro de 2016.

Titular, com boa pegada no meio de campo e até saídas de bola rápidas, Urso teve de ouvir o grito da torcida para o principal concorrente quando o Galo levou o gol do Cruzeiro. O técnico Diego Aguirre também comentou sobre a escolha pelo recém-chegado no alvinegro mineiro.

"Foi uma opção técnica, como tantas outras. Uma decisão que achamos ser a melhor, eu valorizo muito Leandro, é um grande jogador e profissional. Mas queriamos o Junior Urso para frente, que é importante para o time. Não significa nada, são decisões que tenho de tomar e creio ser as melhores no momento".