Stoffel Vandoorne teve a sua permanência na McLaren para a temporada de 2018 da Fórmula 1 oficialmente confirmada pela equipe inglesa nesta quarta-feira. O piloto belga, que assumiu o posto de titular do time a partir do início deste ano, acabou sendo garantido para o campeonato do ano que vem após ter somado o seu primeiro ponto do Mundial de 2017 justamente na corrida passada, no dia 30 de julho, quando terminou o GP da Hungria em décimo lugar.

Embora esteja apenas em sua primeira temporada completa na F-1, na qual estreou pela escuderia britânica em 2016 ao substituir Fernando Alonso no GP do Bahrein após o espanhol não ser liberado para correr a prova em decorrência de forte acidente sofrido na Austrália na abertura daquele Mundial, Vandoorne é projetado pela McLaren como um futuro campeão do mundo.

Com 25 anos de idade, o belga tenta ajudar o tradicional time a recuperar o status de potência da categoria máxima do automobilismo, na qual vem decepcionando com péssimos desempenhos nas últimas temporadas. E este objetivo passa pela aposta no piloto a longo prazo, conforme destacaram nesta quarta os dirigentes da McLaren. "Quando anunciamos no fim de 2017 que Stoffel seria piloto titular da McLaren para 2017, nós indicamos que nossos planos era de que ele corresse para nós vários anos. O plano não mudou, e estou muito feliz, portanto, de poder confirmar que ele vai seguir correndo para nós na próxima temporada", afirmou Eric Boullier, diretor esportivo da equipe inglesa.

Com um carro pouco competitivo em sem alcançar até agora nem sombra do sucesso que esperava após reeditar a parceria histórica com a Honda para fornecimento dos seus motores, a McLaren hoje convive com a recorrente insatisfação de Fernando Alonso, que soma apenas oito pontos pelo time nesta temporada e chegou a abrir mão de disputar o GP do Mônaco deste ano para poder participar no mesmo dia das 500 Milhas de Indianápolis da Fórmula Indy.

Em meio a este cenário de descrédito, a equipe agora almeja um renascimento como força da F-1 a partir de 2018, quando tem boas chances de não contar mais com o bicampeão mundial Alonso como um dos seus pilotos, possibilidade que também tornou a garantia da permanência de Vandoorne ainda mais importante.

"Como todos os novatos, ele teve de aprender muito na primeira metade de sua primeira temporada na Fórmula 1, mas nós temos grande confiança nele, e ele está ficando melhor e melhor em todo este tempo. Seu companheiro de equipe é um duro adversário - o que é de fato um eufemismo, porque ele (Alonso) é indiscutivelmente o melhor piloto do esporte hoje -, mas o com o seu talento robusto e ambição feroz nós temos certeza de que ele (Vandoorne) alcançará grande sucesso conosco no futuro", completou Boullier.

Zak Brown, diretor executivo do McLaren Technology Group, foi além ao qualificar o belga como "um super talento e um futuro campeão do mundo de Fórmula 1", assim como deixou claro que o acordo firmado com o piloto belga prevê a sua permanência na equipe também nas temporadas que virão após o campeonato de 2018.

"Antes de alguém me fazer qualquer pergunta sobre duração (do acordo), aviso que nós não queremos entrar neste tipo de detalhe confidencial de contrato, mas deixem-me colocar isso da seguinte forma: quando contratamos Stoffel, pretendíamos que ele corresse para nós por um número significante de anos, o que permanece sendo a nossa firme intenção", afirmou Brown, que em seguida enfatizou: "Todos sabemos do potencial de Stoffel, e quando tivermos um pacote forte o suficiente para ganhar corridas de novo - e nós teremos - Stoffel estará no lugar certo para conquistar sua primeira vitória na Fórmula 1".

FOCO RENOVADO PARA 2018 - Vandoorne, por sua vez, comemorou a sua permanência na McLaren em 2018 como um fator fundamental para lhe dar a tranquilidade necessária para correr com motivação nesta continuidade do campeonato de 2017 da F-1, já visando evolução e objetivos maiores para o próximo ano. "Estou maravilhado pelo fato de a equipe formalizar agora o anúncio de que vou continuar correndo para eles ano que vem porque vou conseguir abordar a segunda metade da minha primeira temporada com foco total no meu trabalho e tirando o máximo do meu carro, meus engenheiros e tudo e todos os que estão à minha volta", disse.

"Já aprendi uma enormidade na primeira parte da minha primeira temporada na F-1, com meus engenheiros, Éric Boullier, Zak Brown e Jonathan Neale (diretor de operações da equipe inglesa), e também com Fernando Alonso, que é um piloto brilhante e um excelente companheiro de equipe. Gostaria de agradecer também aos parceiros da McLaren e aos fãs pelo entusiasmo. Eles são os melhores nisso, e também ao Comitê Executivo da McLaren, como Shaikh Mohammed e Mansour Ojjeh, que continuam depositando fé em mim", reforçou o belga.