Eles são a aposta para os vestibulares deste ano. Populares na internet, os memes devem aparecer, inclusive, no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). De acordo com professores, as imagens, carregadas de humor, também trazem críticas e vêm para complementar outros gêneros textuais, como charges, cartuns, tirinhas e quadrinhos, que já aparecem nas provas.

“Esse é um novo tipo de texto, atual, e está presente no dia a dia dos estudantes”, comenta o professor de redação e literatura Lucas Marquesini. Na profissão há 13 anos, em 2017 ele começou a utilizar a ferramenta em sala de aula no pré-vestibular Elite, na capital.

Mas é preciso estar atento. Por ser uma prova nacional, e que traz questões da atualidade, o docente recomenda que os alunos acompanhem conteúdos políticos e sociais. “O vestibular não vai escolher uma questão boba. Os memes também vão exigir interpretação, contextualização”, frisa. Para Monika dos Santos, professora no Colégio Unimaster/Grupo SEB, o uso desse tipo de linguagem é interessante pois “mostra que a prova acompanha o contexto do aluno”. Por isso, para montar as aulas, a educadora conta com a colaboração e sugestões dos estudantes.

Para começar a estudar e analisar o meme, o aluno deve entender alguns conceitos da língua portuguesa

Múltipla escolha

Apesar do caráter interpretativo, dificilmente as imagens vão aparecer em questões abertas. “É improvável que isso esteja, por exemplo, na redação, já que são temas mais sérios e universais”, explica Monika. Para não errar caso os memes apareçam nas questões dissertativas, a dica é prestar bem atenção. O aluno deve ter certeza que entendeu a mensagem, o momento em que está inserida e qual recurso foi utilizado na construção da imagem.

Assim como nos outros gêneros textuais, é preciso perceber a linguagem utilizada. Porém, o mais provável é que apareçam aqueles que misturam a linguagem verbal com a não verbal. “A linguagem não verbal carrega muita simbologia e o meme é uma ferramenta para comunicar”, lembra a professora do Unimaster.

Memes
Imagens com temas atuais, como corrupção e conflitos internacionais, podem ser usadas nas provas

Por dentro

Para começar a estudar e analisar o meme, o aluno deve entender alguns conceitos da língua portuguesa. Além do duplo sentido, é preciso estar atento a palavras que têm a mesma grafia ou pronúncia, mas com significados diferentes e também aos diferentes sentidos de uma mesma palavra.

Os memes podem, ainda, estar relacionados a outras áreas do conhecimento e não apenas aos conteúdos de linguagens, tais como matemática, ciências da natureza e ciências humanas. Professores acreditam que, apesar de possíveis, temas como corrupção podem aparecer de forma mais genérica e não com personagens específicos.