Internada pela décima quarta vez em decorrência de uma doença chamada neuromielite óptica, Brenda Soares da Cunha Silva tinha como sonho ganhar um abraço de presente. 

Nessa segunda-feira (15), exatamente no dia em que 5 mil pessoas abraçaram a Santa Casa, onde está em processo de recuperação, ela completou 15 anos e ganhou uma festa surpresa dos funcionários do hospital com direito a vestido e maquiagem. 

“Obrigada. Estou muito feliz. Custei a chegar aqui. Foi muito difícil conseguir uma vaga. Mas graças a Deus minha mão já está melhor e estou começando a andar”, agradeceu, aos prantos, a aniversariante. 

O pai da garota, Sérgio Alexandre Nunes da Silva, mal conseguia segurar a emoção na festa, onde dançou valsa e presenteou a filha com um anel.

Leia mais:
Por falta de verba, Santa Casa de BH pode paralisar atendimentos em 60 dias
Abraço simbólico no prédio da Santa Casa chama a atenção para crise no hospital

Luta

A enfermidade dela é rara e acomete uma a cada 100 mil pessoas, segundo o coordenador da UTI da Santa Casa, Cláudio Dornas. O sistema imunológico ataca os nervos ópticos e a medula.

Brenda já chegou a ficar cega e ter várias partes do corpo paralisadas. Nesta última internação, ficou com o lado direito paralisado. 

A dificuldade para a internação é reflexo da crise vivida pelo hospital. A ala onde é possível fazer o tratamento de Brenda estava fechada.

“Chegamos a olhar hospitais particulares. Mas cinco dias de internação ficariam em R$ 25 mil”, conta a mãe da adolescente, Shirlene Soares da Cunha Silva.