O goleiro Bruno Fernandes já está preso na unidade penitenciária de Varginha, no Sul de Minas. O atleta estava detido no presídio de Três Corações, na mesma região do Estado, desde que o Supremo Tribunal Federal suspendeu sua liberdade, concedida em fevereiro pelo ministro Marco Aurélio.


A transferência foi possível porque Bruno é titular do time do Boa Esporte, clube de Varginha. Segundo o advogado do goleiro, Lúcio Adolfo, Bruno tem domicílio e trabalha na cidade, e por isso tem o direito de ficar na unidade prisional do município. O próximo passo, segundo Lúcio Adolfo, é tentar a progressão de regime para semiaberto.


“Vou sentar com calma, analisar detalhadamente todo o processo e fazer todas as contas. Se for possível, vou pedir a redução de pena. E se ele tiver direito, também pedirei a mudança para o regime semiaberto. Como na instituição prisional em Varginha não existe regime semiaberto com pernoite na unidade, pode ser que ele vá para a prisão domiciliar”, afirmou o advogado, em entrevista por telefone.


Acusado pela morte da sua ex-amante Elisa Samúdio, com quem teve um filho, cárcere privado e ocultação de cadáver, Bruno foi condenado em março de 2013 a 22 anos e seis meses de prisão. Desta pena, cumpriu seis anos e sete meses de detenção em regime fechado. Depois disso, foi solto após julgamento de um habeas corpus. Mas a sentença que manteve o goleiro livre durou apenas dois meses e um dia.

 

Conforme o Hoje em Dia já mostrou, a defesa do goleiro também acredita que a gravidez da esposa do jogador, Ingrid Calheiros, de 30, divulgada na sexta-feira (28), também pode ajudar em uma nova soltura de seu cliente. Esse será o primeiro filho do casal e o quarto do goleiro que já tem duas meninas com a ex-esposa Dayanne de Souza, além do menino com Eliza Samudio.