Minas Gerais vive dias de caos provocado pelos ataques e incêndios em veículos. Desde o último domingo (3), até a madrugada desta terça-feira (5), foram registrados ao todo 35 ônibus, um caminhão, três viaturas do sistema prisional, quatro carros e uma retroescavadeira incendiados, além de uma tentativa de incêndio a ônibus. Os 44 ataques ocorreram em 19 cidades do Estado, a maioria, nas regiões Sul e Triângulo Mineiro.

Até o momento, um menor foi apreendido e 40 suspeitos de participarem dos ataques foram conduzidos para prestar depoimento. Destes, três foram presos. O adolescente que teria participado de um dos atos incendiários sofreu queimaduras e foi internado. Motoristas e ocupantes dos veículos atacados não ficaram feridos.

De acordo com o especialista em segurança pública e professor da PUC Minas, Luiz Flávio Sapori, nas cidades do Sul de Minas e do Triângulo há uma forte presença de grupos ligados a facções criminosas. “Estamos diante de uma ação orquestrada, bem planejada, que aparenta ser de autoria de facções, muito provavelmente o Primeiro Comando da Capital (PCC), que é uma organização criminosa com atuação em todo o país”, diz Luiz Flávio Sapori.

Investigações

Segundo o chefe da Sala de Imprensa da Polícia Militar, major Flávio Santiago, alguns grupos podem estar se comunicando pelas redes sociais e aplicativos de mensagens de textos. Ele garante que essa questão tem sido investigada.

Em nota, o governo do Estado informou que as forças de segurança atuam de forma integrada e com prioridade para resolver e punir os responsáveis. Já a Polícia Civil alegou que é muito cedo para falar sobre qualquer relação entre os crimes.

Em BH

Na capital, dois ônibus foram atacados neste período. De acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (SetraBH), nove coletivos foram queimados em 2018. Além disso, a entidade alega que o sistema está impossibilitado de repor os veículos, já que um ônibus novo nos parâmetros exigidos para atender o transporte coletivo em BH custa cerca de R$ 400 mil.

Reação do governo

O governador Fernando Pimentel se pronunciou na tarde dessa segunda-feira (4), através de um vídeo em rede social, explicando quais medidas de segurança estão sendo tomadas para evitar novos ataques. De acordo com a postagem do governador, a segurança é uma das prioridades do governo. "Tomamos todas as medidas cabíveis para que tudo volte a sua normalidade o mais rapidamente possível.", escreveu o governador.

Assista ao vídeo com a fala do governador:

Saiba em quais cidades ocorreram os ataques entre domingo (3) e terça-feira (5):

Itajubá 
Brasópolis
Monte Santo de Minas
Lagoa Prata 
Passos 
Guaxupé
Alfenas
Poços de Caldas
Uberaba
Uberlândia
Pouso Alegre
Cruzília
Varginha
Belo Horizonte
Três Corações
Santa Luzia
Araxá
Tupaciguara
Luz

Leia mais:

Ataques a ônibus em Minas Gerais desafiam as autoridades

Governo de Minas cria força-tarefa após fim de semana com 26 ônibus incendiados

Polícia vai investigar participação de facções em ataques em Minas