Unir o conteúdo ensinado em sala de aula ao dia a dia de uma redação a fim de formar profissionais prontos para o mercado de trabalho. É essa a proposta do curso de comunicação social com ênfase em jornalismo da Faculdade Promove.

Com cem vagas abertas para o vestibular do segundo semestre, o curso vai oferecer ao aluno a possibilidade de absorver a vasta experiência de jornalistas de áreas como cidades, política, tecnologia, esportes, cultura e economia. Tudo isso dentro da redação do Hoje em Dia.

A integração começará desde o primeiro período, quando o estudante fará visitas ao jornal. “Ali, o aluno vai verificar como é criada a pauta, como funciona a apuração, cada processo de criação da notícia e a aplicação disso principalmente dentro do webjornalismo”, explica Diogo Isoni, coordenador do curso da Faculdade Promove.

Foco

Atento às demandas da era digital e às tendências do mercado da comunicação, o curso terá grande enfoque na produção multimídia, principalmente no webjornalismo voltado para as redes sociais e para o YouTube. 
Nesse contexto, a criação de conteúdo para diversas plataformas também será explorada. 

E o aprendizado não ficará limitado apenas à prática do jornalismo diário. Segundo Isoni, o curso oferecerá aos alunos subsídio para trabalhar com assessoria de imprensa e em toda gama de espaços em que um profissional do jornalismo pode atuar.

“O mercado ainda restringe a atuação dos profissionais aos jornais, mas, com a internet, vimos nascer blogueiros e críticos de cinema, gastronomia e esportes, por exemplo. Então vamos tentar, dentro dos quatro anos, fazer do jornal Hoje em Dia essa escola prática”, adianta o professor.

Experiência

O contato com profissionais consagrados no jornalismo mineiro será uma das grandes vantagens oferecidas pelo curso do Promove. Um exemplo é o editor de Esportes do Hoje em Dia, Alexandre Simões. 

Há 27 anos no mercado e com sete livros publicados, ele explica que o dinamismo é um requisito básico para quem quer atuar no mercado.

“A editoria de Esportes praticamente se dividiu em duas. Os repórteres estão, basicamente, atuando on-line e o editor e os subeditores cuidam mais do impresso. Além disso, temos uma equipe integrada às redes sociais. O Twitter, hoje, é a principal ferramenta de mídias sociais do jornalismo esportivo”, analisa Simões.

Para ele, a possibilidade de acompanhar a rotina da redação pode agregar muito valor à formação dos futuros jornalistas. 

“No caso da editoria de Esportes, os estagiários têm uma participação importante na apuração e na pesquisa das matérias que a gente produz. Assim, toda essa vivência dá a eles a chance de adquirir um conhecimento que será imprescindível para que se estabeleçam no mercado”. 

Estrutura 

Para oferecer aos alunos a estrutura para o aprendizado mais sólido possível, o curso contará com um laboratório de vídeo e áudio com tecnologia de ponta. 

O diretor-administrativo das faculdades Promove e Kennedy, Paulo Linhares, explica que o espaço poderá comportar até 30 pessoas durante as gravações e servirá para uma vasta produção de conteúdo.

“No estúdio, pretendemos fazer gravações de aulas dos cursos on-line que já existem na faculdade. Teremos uma moderna estrutura de chroma key (tela de fundo azul ou verde que permite mesclar imagens diferentes) disponível. Então, os próprios alunos de jornalismo poderão auxiliar na produção desse material, já que esse também é um campo de trabalho em que eles poderão atuar”, explica.