O pagamento do auxílio emergencial às famílias atingidas pelo rompimento da barragem em Mariana vai passar a ser feito por conta bancária, a partir de julho, em conta-corrente ou poupança. O comunicado foi feito pela Fundação Renova, empresa criada pela mineradora Samarco para reparação e compensação dos danos causados pelo acidente. 

Atualmente, cerca de 5.300 famílias recebem o pagamento por meio do cartão Alelo. A troca, segundo a Fundação, é para proporcionar mais segurança aos beneficiários.  

Transição

Os  atendentes da Fundação Renova vão entrar em contato por telefone para realizar o agendamento da troca. O convocado deve comparecer nos escritórios da Fundação, nos dias e horários informados e ter em mãos os dados de conta (cartão do banco ou documentação bancária com o número e tipo de Conta, Agência, Nome do Banco e documentos originais: CPF e Carteira de Identidade). Quem não tiver uma conta corrente ou poupança poderá abri-la no banco de sua preferência.

Serão aceitas contas-correntes e poupanças de qualquer banco, em nome do titular do cartão. Quem possuir as chamadas “contas fáceis” da Caixa Econômica Federal ou outras contas que não sejam corrente ou poupança deverá desbloqueá-las na agência de abertura, já que elas apresentam limites para recebimento de transferência de valores.

A empresa esclarece que o saldo existente no cartão Alelo ficará disponível para uso até dezembro de 2019. O titular de auxílio financeiro deverá realizar a transferência dos valores para sua conta bancária ou utilizar o saldo disponível na rede de estabelecimentos conveniados antes dessa data.

* Fonte: Fundação Renova

Leia mais:
Fundação Renova e entidade apresentam projetos das casas para novo Bento Rodrigues
Canteiro de obras para reconstrução de Bento Rodrigues é implantado
Justiça Federal autoriza contratação da FGV para fazer diagnósticos sobre o desastre de Mariana