Integrantes do bloco Filhos de Tcha Tcha acusam a Polícia Militar de agir com violência contra os foliões, durante cortejo do bloco, na última segunda-feira (12), na região do Barreiro. Pelo Facebook, o bloco publicou uma nota em que denuncia que a PM usou cassetete, balas de borracha e spray de pimenta contra o público. O grupo se apresentou pelo Vale das Ocupações do Barreiro – que abrange as ocupações Eliana Silva, Irmã Dorothy, Camilo Torres e Paulo Freire.

Na publicação na rede social, o grupo afirma que o cortejo transcorria normalmente, até que a polícia começou a agir com truculência, inclusive, contra mulheres e crianças. Além da violência, os integrantes do bloco também consideraram indevida a prisão de Indianara Mendes, moradora de uma das ocupações, que foi detida por desacato. Indianara trabalha na "Gabinetona", nome dado ao gabinete conjunto formado pelas vereadoras Áurea Carolina e Cida Falabella. 

A mulher foi solta às 5h30, de acordo com informações do bloco.

Polícia se defende

Segundo o tenente-coronel Sílvio Mendes, comandante do 41º Batalhão da Polícia Militar, o desfile ocorria normalmente, sem qualquer intercorrência, até que que membros do bloco começaram a desrespeitar o que havia sido previamente combinado. 

O tenente-coronel afirma que integrantes do bloco foram até o local em que estava a Polícia Militar para tentar prolongar o horário de encerramento do evento, o que, segundo o militar, não era possível. 

"Eles não respeitaram o trajeto e nem o horário. O combinado com a Belotur era até Às 20h. Já havia passado mais de uma hora do que estava acertado quando eles começaram a procurar a polícia pra aumentar o tempo do desfile, mas não dá, o horário de início e término é definido pela Belotur", afirma. 

De acordo com Mendes, foi justamente quando negociava com a Polícia Militar a expansão do horário, que uma das moradoras se exaltou, desacatou os policiais e foi detida. 

Em seguida, ao verem a cena, outros integrantes do grupo teriam entrado em conflito com os militares para tentar soltar a mulher, o que fez com que a polícia fizesse o uso do spray de pimenta e das balas de borracha. 

A polícia afirma que duas viaturas foram quebradas e três policiais ficaram feridos no conflito. No momento em que Indianara recebia antendimento médico no hospital, outro homem foi identificado como um dos que quebraram a viatura, e também foi detido. Ele foi liberado junto com Indianara, horas depois.