No último dia de reinado do Momo em Belo Horizonte, o Bloco Magnólia espera arrastar cerca de 15 mil foliões pelas ruas do bairro Caiçara. A concentração, no entanto, começa tímida. Sem axé ou marchinhas conhecidas, esta é a quinta participação do grupo, que traz uma versão carnavalesca do cortejo Jazz do Mardi Gras, festa típica de Nova Orleans (EUA). 

O aquecimento para o desfile, que começa às 13h, já começou. O pequeno carro de som sai da rua Catumbi, esquina com rua Magnólia, a qual percorre até a rua Baependi, onde a dispersão deve acontecer por volta das 17h.  No ano passado, o bloco levou os foliões para a avenida, mas por determinação da BHTrans precisou voltar às ruas mais apertadas, dentro do bairro.

Estreia

Este é o primeiro e único bloco que a antropóloga Aline Miranda, de 23 anos, vai participar. Acompanhada da mãe e um casal de amigos, ela explica que não é muito de Carnaval. “Animei vir porque é um bloco dentro de bairro, mais tranquilo. Antes também dei uma pesquisada e vi que eles tocam jazz, que é um som interessante, que eu gosto”, disse.

Quase atingindo a casa dos 30ºC, o calor não espanta ninguém. Para se protegerem, os foliões fazem o que podem. Escondem-se em marquizes, debaixo do guarda-sol dos ambulantes ou com guarda-chuvas.

bloco magnólia

Estrutura 

A estrutura na concentração do Magnólia está bem melhor que os outros blocos. Muitos banheiros químicos oferecem mais conforto aos foliões.