Com a proximidade do período das pipas, quando os ventos ficam mais fortes, o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais faz um alerta à população quanto ao uso do cerol. Na última sexta-feira (15), um helicóptero da Corporação ficou preso em uma linha, ao realizar um pouso no Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte. 

“Uma linha de pipa, ao se enroscar no rotor do helicóptero, prejudica a segurança do voo, colocando a tripulação em risco. Tripulação essa que realiza resgates e salvamentos diários em todo Estado, além do prejuízo nos atendimentos”, afirmou o capitão Penido, piloto dos bombeiros.

No dia do acidente, o piloto da aeronave contou que chegou a avistar a pipa, tentou uma manobra, mas não conseguiu se desviar da linha, que danificou duas hastes de comando de passo, equipamento responsável pela inclinação das pás da aeronave e que permite que ela voe. As peças possuem proteção, mas a linha, por ser bem fina e estar mais resistente devido ao cerol, passou entre a proteção e danificou as hastes. 

O uso do cerol é considerado crime. Em caso do uso por crianças ou adolescentes, o adulto responde por eles, podendo ser multado ou até mesmo preso. Outra dica da corporação é soltar pipas em locais abertos, preferencialmente em parques; nunca perto de aeroportos, da rede elétrica e em dias nublados. As rabiolas também devem ser evitadas, porque elas se enroscam mais facilmente nos objetos.

O helicóptero já foi enviado para a manutenção, mas não há previsão de quando estará pronto porque os serviços são feitos por empresas terceirizadas e não há peças para pronta-entrega.  O conserto custará cerca de 40 mil dólares (R$ 149 mil reais), segundo o militares. 

Leia mais:
Linha de pipa enrosca em helicóptero dos bombeiros e estraga aeronave