No primeiro semestre deste ano, o Corpo de Bombeiros atendeu a 284 chamados por causa de vazamento de gás de cozinha em Minas. O número serve de alerta, pois um problema na tubulação ou na conexão entre botijão e fogão pode provocar uma grande explosão.

De acordo com a tenente do Corpo de Bombeiros Andrea Coutinho, a maioria das ocorrências se referem à má instalação do botijão de gás ou da tubulação em edifícios. Por isso, sempre que houver uma troca de botijão é preciso ficar atento para que as conexões estejam bem feitas. No caso dos prédios, um vazamento merece uma atenção maior e toda tubulação deve ser investigada.

Mesmo com uma queda de 20% nos atendimentos dos bombeiros a casos dessa natureza entre os primeiros semestres de 2016 e 2017, a população deve se manter sempre alerta em relação à instalação de botijões ou encanamento. A tenente Andrea apresenta 8 orientações para que os riscos de vazamento de gás sejam eliminados. Confira:

1) Na hora de trocar o botijão, é preciso verificar se a válvula está bem ajustada e fazer o tradicional teste com uma esponja de limpeza e detergente. A observação da espuma é fundamental para saber se há vazamento;

2) A mangueira usada entre o fogão e o botijão tem validade de aproximadamente cinco anos. Sempre que houver troca de botijão, deve-se observar se a mangueira está dentro do prazo;

3) Para quem vai se mudar para um apartamento e precisa fazer a primeira conexão do fogão à tubulação do edifício, a tenente recomenda que se contrate um profissional competente. “Os tipos de material usados são diferentes e as conexões são específicas. Um profissional saberá fazer a ligação com maior segurança”, afirma.

4) Se você mora em apartamento e sentir cheiro de gás, deve abrir todas as janelas e tomar previdência para fechar o registro geral do prédio. Isso porque o cheiro que sentiu pode ser referente a um problema em outro apartamento. Com o registro fechado, deve-se buscar a fonte do vazamento;

5) Se você estiver numa casa e sentir cheiro de gás, deve desconectar o botijão e levá-lo a um espaço aberto – o quintal, por exemplo. Com uma esponja, verifique se o vazamento está acontecendo no próprio botijão. Se sim, ligue para quem lhe vendeu;

6) Se houve vazamento dentro de casa, não faça nada que provoque faísca, especialmente acender a luz. Espere que o cheiro do gás vá embora completamente;

7) Caso o registro central de gás do prédio seja fechado e o cheiro não vá embora, chame pelo Corpo de Bombeiros;

8) Em caso de incêndio, ligue 193