Um cabo da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) foi preso em flagrante por dois roubos praticados na manhã e tarde desse domingo (11), em Belo Horizonte. O homem, que tem 40 anos, está há 12 anos na corporação, mas, há cerca de um mês, foi afastado das atividades nas ruas por questões médicas. 

Os dois crimes foram cometidos com o uso de uma réplica de pistola. Como o cabo realizava apenas atividades internas, ele não tinha arma da corporação, nem pessoal.

Em coletiva de imprensa, o major Mauricio, do 5º Batalhão, explicou que por volta das 17h30 desse domingo uma testemunha acionou a PM pelo 190, na rua Araguari esquina com avenida dos Andradas, no Barro Preto. "Um segurança que presenciou o assalto percebeu que a arma não era de verdade e imobilizou o suspeito até a chegada da polícia", explicou. 

Ao ser identificado como cabo da PM, o homem foi conduzido para a Central de Flagrantes (Ceflan). Pelas características, e por conta do uso de uma réplica, surgiu a suspeita de que ele era o autor de outro crime, praticado na parte da manhã. 

Por volta das 6 horas, uma mulher teve o veículo e pertences pessoais roubados no Buritis, quando buscava a filha no clube Chalezinho. "A vítima foi acionada, levada para o hospital em que o cabo está internado e o reconheceu", disse o major. 

O PM está internado no hospital da Polícia Militar, porque sofreu ferimentos ao ser imobilizado. Ele será julgado na Justiça comum, já que estava à paisana, por dois roubos consumados. Internamente, a corregedoria acompanha o caso, e o cabo pode até ser expulsão da corporação.