Após quase uma semana sem conseguir utilizar o elevador para entrar e sair da estação de metrô Santa Tereza, a qual utiliza diariamente para ir trabalhar, a cadeirante Tatiane Gomes de Carvalho, fez um Boletim de Ocorrência nesta terça-feira (12) contra a CBTU, na Polícia Militar.

"É uma situação muito constrangedora. Não há rampa de acesso e a única forma que tenho para entrar e sair da estação é por meio do elevador. A CBTU alega que é problema de empresa terceirizada. Ao mesmo tempo, os seguranças da estação não me ajudam a sair", diz.

Em um dos dias em que se deparou com o equipamento sem funcionar, Tatiane, que é agente legislativa na Câmara Municipal, precisou da ajuda de policiais militares para sair da estação. Na terça-feira, enquanto esperava por uma alternativa, teve a sorte de ser ajudada por um dos seguranças da Câmara, que por coincidência, chegava ao trabalho na mesma hora que ela. 

"Não dá para ser assim. Os funcionários da CBTU falaram para eu descer em outra estação, a Santa Efigênia, mas é muito mais longe, difícil para eu me deslocar até o trabalho. Fica perigoso para mim", diz Tatiane.

Reparo

A CBTU informou que detectou durante inspeção preventiva, realizada na quarta (6/9), desgastes naturais em parte dos componentes instalados no elevador da Estação Santa Tereza e, por isso, o equipamento precisou ser temporariamente desativado, "de modo a resguardar a integridade dos próprios usuários".

Em nota, a companhia garantiu que a empresa responsável pela manutenção dos elevadores já está providenciando a compra de peças e a troca deverá ser feita até sexta-feira (15).