"Cara de bloco pequeno, mas que é grande". Foi assim que a jovem Júlia Vasconcelos, 22 anos, definiu o 'Juventude Bronzeada', bloco que a foliã acompanha há três anos. O trio, pequeno frente ao utilizado por outros grupos, é o principal elemento para dar essa cara de 'bloquinho'. "Eu me sinto em casa. O trio mais baixo favorece o entrosamento entre o público e a banda", explica. 

A bateria é outro item que dá a pegada de bloco pequeno, já que é aberta e mesmo quem não foi a todos os ensaios pode tocar. "O Juve é o único que mantém essa característica justamente porque queremos a participação de todos", diz o regente Rodrigo Magalhães. O bloco prega a união entre o representantes do grupo e foliões. "Isso aqui não é espetáculo. É Carnaval! É algo construído junto entre nós no trio, bateria, ala dançante e foliões", diz Marcela Pieri, uma das vocalistas do bloco. 

bloco juventude bronzeada
Elisa, Júlia e Eduardo curtindo o desfile do Juventude
 

Eduardo Canabrava também é piolho do 'Juve' e ama a vibe do desfile. "Todo ano é lindo e esse ano também vai ser", diz o jovem ansioso minutos antes da saída do cortejo.  A concentração começou pouco antes das 9h. O trio já começou o deslocamento pela Avenida Assis Chateaubriand, no bairro Floresta, região Central. O bloco vai até às 16h.

Leia mais:
'Peruca afro não é fantasia', diz vocalista do 'Juventude Bronzeada'
Juventude Bronzeada se prepara para desfile no último dia de Carnaval em BH