A Secretaria Municipal de Saúde de Caratinga, no Vale do Rio Doce, confirmou nesta quarta-feira (11) que quatro das oito mortes registradas no município nos últimos meses foram em decorrência da febre amarela. O secretário de Saúde da cidade, Giovanni Corrêa, declarou que exames laboratoriais confirmaram a presença da doença. Os resultados oficiais ainda serão divulgados pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) até o fim da semana.

Atualmente, de acordo com a pasta, existem 79 casos suspeitos de febre amarela silvestre na região. Oito mortes foram registradas nos municípios de Imbé de Minas, Piedade de Caratinga, Caratinga e Ubaporanga. As vítimas são trabalhadores e moradores de zonas rurais. “Quatro mortes já foram confirmadas por meio de exames laboratoriais, mas ainda faremos um outro exame de contrapartida. Demais ainda são suspeitas. Ao todo, são investigadas, apenas na cidade de Caratinga, 35 casos da doença. Todas as medidas estão sendo tomadas para conter esse surto na região”, explica o secretário.

Força-tarefa

Devido ao alto número de notificações na região, a prioridade da secretaria é a vacinação nas comunidades rurais, já que todos os pacientes são dessas regiões. “Para isso está sendo realizado a imunização na casa dos moradores, além de orientar turistas adeptos a ecoturismo para a vacinação”, reforça o secretário.

Nessa terça-feira (10), a prefeitura começou a vacinação no município. As quatro mil doses disponibilizadas acabou no início da tarde. Nesta quarta-feira (11), outra remessa de medicamento foi disponibilizado, porém a pasta não informou a quantidade de doses encaminhadas pela SES. Segundo o secretário, a cidade receberá diariamente remessas do medicamento até que toda a população esteja imunizada. Para esta quinta-feira (12), a cidade deverá receber 17 mil doses da vacina. 

Além dos moradores da zona rural, também devem ser imunizados as pessoas com menos de 60 anos e crianças com mais de 6 meses de idade. As gestantes e pessoas que estão amamentando crianças de até seis meses não podem ser vacinadas."A recomendação é que essas pessoas usem repelente e coloquem telas nas janelas, já que a doença é transmitida pelo mosquito. Os demais devem verificar se já tomaram a vacina nos últimos dez anos, senão devem tomar agora. Ela começa a fazer efeito depois de dez dias", orienta o secretário Giovanni Corrêa.

Em Minas Gerais

Até o momento, a Secretaria de Estado de Saúde investiga 23 casos suspeitos de febre amarela, sendo 16 prováveis e 7 em investigação e 14 mortes. Esses números, porém, ainda não estão atualizados com os casos de Caratinga.

Os municípios em situação de alerta são: Ladainha, Malacacheta, Frei Gaspar, Caratinga, Piedade de Caratinga, Imbé de Minas, Entre Folhas, Ubaporanga, Ipanema e Inhapim.

Leia mais:
Alerta provoca corrida pela vacina nos postos de BH
Viajantes e foliões devem redobrar cuidados por causa de surto de febre amarela
Pimentel diz que febre amarela no Estado é grave, mas não é motivo para alarme