Dois casos de agressão contra motoristas do Uber foram registrados em Belo Horizonte na madrugada de domingo (24). Os condutores do aplicativo informaram que tiveram os veículos apedrejados por taxistas na região Centro-Sul da capital.

O primeiro caso, segundo a Polícia Militar, aconteceu na rua Piauí, no Santa Efigênia, por volta das 2h44. A vítima contou que uma passageira embarcava no veículo quando um taxistas ateou pedra. O para brisa traseiro do veículo foi quebrado.

Às 3h50 outro condutor do app foi alvo de violência. Ele disse que passava na avenida do Contorno, na altura do bairro Cruzeiro, quando foi atingido por pedras jogadas por um taxista.

O motorista anotou a placa do táxi e acionou a PM. Rastreamento foi realizado na região e o taxista foi abordado, contudo, negou a agressão. O suspeito foi levado para a Seccional Noroeste, onde a ocorrência foi registrado.

Por meio de nota, o Uber repudiou os atos registrados na capital mineira. A empresa disse que "considera inaceitável o uso de violência. Todo cidadão tem o direito de escolher como quer se mover pela cidade, assim como o direito de trabalhar honestamente".

O representante do Sindicato Intermunicipal dos Condutores Autônomos de Veículos Rodoviários, Taxistas e Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens de Minas Gerais (Sincavir-MG) não foi localizado pela reportagem para comentar o assunto.