O Centro Acadêmico da Escola de Minas (Caem), entidade estudantil da Universidade Federal de Ouro Preto, pode ser interditado pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). O pedido é baseado em laudo técnico que aponta a possibilidade de desabamento da estrutura do prédio, localizado na Praça Tiradentes, no centro histórico do município, e recomenda ao Município de Ouro Preto e ao Corpo de Bombeiros a adoção de medidas de prevenção.
 
De acordo com o laudo técnico, “o cenário atual de deformação do aterro é crítico, necessitando, portanto, de uma intervenção urgente”. Para os promotores de Justiça Domingos Ventura, da 4ª Promotoria de Justiça de Ouro Preto, e Marcos Paulo Miranda, coordenador da Promotoria Estadual de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico de Minas Gerais, as causas do dano estrutural  foram as intervenções realizadas no local e a vibração causada pelo trânsito da Praça Tiradentes.
 
Na documento enviado à Prefeitura de Ouro Preto, o MPMG recomenda uma série de intervenções, como a remoção de transformadores e caixas d'águas para reduzir o impacto na estrutura e a implantação de um sistema de monitoramento contínuo e diário dos deslocamentos observados no muro do Caem.
 
O MPMG solicitou uma reunião com os órgãos responsáveis pela manutenção do edifício para se discutir uma solução definitiva para a solução da situação do Caem. No mesmo documento, o órgão recomendou também a vistoria de dois estabelecimentos comerciais localizados no centro histórico a fim de verificar a possibilidade de interdição. 
 
Atualmente, o prédio do Caem abriga o Restaurante Universitário da Universidade Federal de Ouro Preto. Em nota, a instituição declarou que as atividades do restaurante estarão suspensas por determinação do Ministério Público Estadual.