A febre chikungunya pode ter feito sua primeira vítima em Minas Gerais. Um óbito suspeito foi registrado este ano e está sob investigação. O número de casos de pessoas que podem ter contraído a doença também não para de crescer. Desde o início de 2017, 2.296 notificações foram realizadas, valor quatro vezes maior do que o total do ano passado. Os dados são do boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) nesta terça-feira (14).

Segundo a SES-MG, a doença chegou em Minas no ano de 2014 com casos importados de outros Estados ou países. Somente em 2016 começaram a surgir contaminações no território mineiro. Devido a isso, os números da chikungunya teriam aumentado.

No entanto, a transmissão da doença tem se mostrado desordenada em 2017. Em janeiro foram registrados 688 casos suspeitos. No mês de fevereiro, eles deram um salto e atingiram 1525 notificações. Já no início de março foram contabilizadas apenas 83 pessoas que poderiam ter contraído a febre.

Dengue e Zika Vírus

A SES-MG informa em seu boletim, que até o momento foram registrados no Estado 14.247 casos prováveis de dengue. Desses, um veio a óbito e outros nove seguem em investigação. Já o zika vírus registrou 283 casos prováveis sem nenhuma morte notificada.

Leia mais:
Casos confirmados de dengue diminuem em BH após correção no sistema da Secretaria de Saúde
Luta contra o Aedes: ações simples podem ajudar na promoção da saúde e prevenção de epidemias
5 dicas para o uso de repelentes contra Aedes aegypti