Três ocupações de Belo Horizonte terão obras de melhoria na infraestrutura a partir dos próximos dias. A prefeitura da capital autorizou, na quarta-feira, a instalação de rede elétrica e saneamento básico para as comunidades Maria Tereza (região Norte), Dandara (Pampulha) e Montes Claros (Nordeste). Juntas, elas abrangem 6 mil pessoas.

Na prática, a Cemig tem permissão para regularizar o fornecimento de energia elétrica nesses locais. Hoje, a ligação por lá é feita por meio dos chamados gatos. Da mesma forma, a Copasa já pode iniciar intervenções para o abastecimento de água potável e a instalação de rede de esgoto.

Segundo estimativas da Secretaria Municipal de Políticas Urbanas, 57 ruas das ocupações estão prontas para receber a instalação da iluminação pública. “O processo será gradual e tem caráter provisório, já que há conflitos fundiários ainda em aberto e algumas mudanças podem ocorrer”, ressaltou a titular da pasta, Maria Caldas.

Para Leonardo Vieira, representante do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB), grupo que acompanha as ocupações da cidade, a medida é positiva desde que seja implantada uma tarifa social. “Caso contrário, as famílias não conseguirão arcar com as contas, como aconteceu na ocupação Eliana Silva, no Barreiro”, frisou.

Sustentável

Projetos sustentáveis também serão planejados para as ocupações de Belo Horizonte, de acordo com Maria Caldas. Estão sendo discutidos, dentre outras propostas, o reúso da água e a utilização de ônibus elétricos na região do Izidora, na divisa com Santa Luzia.

“Fomos procurados pela agência de energia sueca, que quer financiar projetos na cidade. Estamos em diálogo com eles para conseguir esse apoio financeiro”, contou a secretária.

Regularização

Em abril, o prefeito Alexandre Kalil anunciou um plano para regularizar 119 ocupações existentes na capital mineira. A medida, em parceria com o governo estadual, transforma esses locais em áreas de interesse social para fins urbanísticos e fundiários.

Com a ação, 93 mil pessoas poderão ter acesso a serviços como iluminação, transporte, rede de esgoto, assistência em saúde e educação. A ideia do Executivo municipal também é evitar novos assentamentos na cidade. Desde então, todos os lotes públicos espalhados pelo município estão sendo monitorados por equipes da Guarda Municipal.