Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, que cumpre pena morte de Eliza Samudio, será réu novamente em 1º de junho, segundo o Fórum Lafayette. Desta vez, por outro caso: o assassinato de um homem em 2009, no Bairro Juliana, na região Norte de Belo Horizonte. 

Bola teria matado o motorista Devanir Claudiano Alves a mando do comerciante Oswaldo Antônio Bicalho. Na ocasião, Oswaldo o desconfiou que a esposa estava o traindo com a vítima e contratou o ex-policial civil para executá-lo. 

O comerciante, apontado como mandante do crime, também irá a júri popular. A dupla será julgada em junho no 1º Tribunal do Júri, na capital mineira.

De acordo com o Fórum Lafayette, a vítima caminhava perto de casa quando foi abordada por Bola. O ex-policial teria confirmado que o homem era mesmo Devanir e atirou, fugindo em seguida. 

Bola e o comerciante foram denunciados por homicídio duplamente qualificado, mediante promessa de recompensa e com dificuldade de defesa para a vítima.

O ex-policial também foi julgado recentemente, em junho de 2016, pelo assassinato de um carcereiro dentro de uma Kombi no bairro São Joaquim, em Contagem. O crime ocorreu em 2000; Bola teria sido contratado para matar o homem. 

Relembre o caso Eliza 

O ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o "Bola" é acusado de matar a ex-amante do goleiro Bruno Fernandes a pedido do atleta. Os dois, além de Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, respondem pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, sequestro, cárcere privado e ocultação de cadáver. 

Dayanne Rodrigues do Carmo Souza, na época mulher do atleta; Wemerson Marques de Souza, o Coxinha; Elenílson Vítor da Silva, e Fernanda Gomes de Castro, ex-namorada do jogador, respondem pelos crimes de sequestro e cárcere privado.

Eliza Samudio está desaparecida desde o dia 4 de junho de 2010, quando fez um último contato telefônico com uma amiga. Segundo a polícia, ela foi morta e teve seu corpo esquartejado. No entanto, os restos mortais da ex-modelo não foram localizados até hoje.