Centenas de manifestantes favoráveis à greve dos caminhoneiros protestam na praça da Liberdade, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, neste domingo (27). Com faixas e bandeiras do Brasil, pedem o fim da corrupção e manifestam apoio aos caminhoneiros. 

Um caminhoneiro que chegou buzinando foi recebido com aplausos pelos manifestantes, que circulam a praça. O protesto foi convocado por movimentos, como o Patriotas e o Vem para a rua.

"Na verdade, é um protesto promovido pelo povo brasileiro de maneira generalizada. Não tem uma liderança.  Estamos dando apoio total aos caminhoneiros que estão parados nas BRs. O brasileiro não aguenta mais tanta corrupção, tanto descaso do governo" reagiu o artista plástico Júlio Hubner.

“Vamos ter o desabastecimento. Todo brasileiro vai sentir. Mas, ao mesmo tempo, vamos sentir o que os nossos irmãos venezuelanos estão sentindo há mais de um ano", reforça.

Para o consultor de laboratórios da indústria farmacêutica, Roberto Viana, 59 anos, o problema não é a alta nos preços do petróleo, mas o excesso de tributo. “Tudo bem que o preço do petróleo está aumentando, mas aqui tem imposto demais para cobrir a roubalheira, e muita impunidade”, afirmou. 

Já o engenheiro mecânico Hélcio Libânio, 63 anos, também manifestou apoio aos caminheiros, e reclamou que a manifestação deveria estar mais cheia. “O problema do Brasil é a facilidade de sobreviver. Nos outros países as pessoas se unem em situações como esta”, afirma. 

Para a professora aposentada Márcia Peluso, 57 anos, o Brasil está numa situação caótica. “A Corrupção passou limites. Estamos apoiando caminhoneiros. Eles foram corajosos, e estão falando mentira sobre eles na televisão. Os caminhoneiros não colocam fogo. É uma manifestação pacífica”, enfatiza.

Ela argumenta que o Problema não é o preço do petróleo, mas a alta carga tributária no Brasil e em Minas Gerais.