Com o objetivo de responder às principais dúvidas das gestantes durante o atendimento pré-natal, a Faculdade de Medicina da UFMG planejou e desenvolveu o aplicativo “Meu Pré-Natal”. Em formato de perguntas e respostas, o programa traz informações sobre todo o processo de gestação em linguagem simples, além de oferecer calendário gestacional e contador de contrações.

De acordo com a coordenadora do projeto, professora Zilma Reis, a ideia do aplicativo surgiu a partir das demandas vivenciadas durante o atendimento pré-natal e da dificuldade de, muitas vezes, conversar em uma linguagem que as futuras mamães consigam entender. 

“Esse é um aplicativo com enfoque educacional, voltado para o casal grávido, principalmente à gestante, procurando apoiar com informações adequadas à trajetória desde o momento que engravida até o pós-parto”, conta Zilma. “Procuramos colocar a demanda de cada momento da gravidez de forma objetiva, em ordem cronológica, no formato de pergunta e resposta com o conteúdo mais importante para ela se manter bem orientada sobre os cuidados e as transformações em seu corpo”, continua. 

A professora também ressalta que um dos propósitos do “Meu Pré-Natal” é evitar a prematuridade do parto, a principal causa de morte entre os bebês ao nascer, já que a idade gestacional é o principal indicador se ele vai sobreviver ou não. “Esse é o diferencial em relação a outros já existentes, pois todo seu conteúdo se apoia nas melhores evidências científicas”, destaca Zilma. Mas, ela também chama a atenção para o fato de que esse aplicativo não substitui a orientação do profissional de saúde, pelo contrário, ele valoriza o cuidado pré-natal nas unidades de saúde.

Recursos do aplicativo

Entre os recursos oferecidos pelo aplicativo estão uma área com as principais perguntas e respostas sobre gestação e o gestograma, um calendário gestacional que os profissionais de saúde utilizam para determinar a data prevista para o parto, baseado na última menstruação e nas informações disponibilizadas pelo ultrassom. 

Dentro do menu também há orientações para o plano de parto recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que inclui informações sobre o direito a acompanhante e as diferentes opções do parto, e um álbum de fotos organizado em uma espécie de linha do tempo da gestação.

Há também um vídeo sobre parto e amamentação e um contador de contrações que auxilia a mulher saber a hora de ir para o hospital. “Este ajuda muito na prática porque, por mais que orientamos ela acompanhar pelo relógio, na hora da dor é difícil ter essa concentração”, afirma Zilma. Quando o bebê nasce e se comunica ao aplicativo, ele pede algumas informações como nome, sexo e uma foto, gerando um cartão de nascimento que pode ser compartilhado com amigos e familiares através do Facebook.